Letra e Música

Eu sou quase uma cinéfila, amo ver filmes, não importa o gênero (Confesso que de terror estou correndo deles) e, muitas vezes repetidamente, se gosto e vejo que está passando na televisão, paro para assistir novamente.

Isso me valeu um apelido, a rainha do filme repetido. Ah, se for antigo, aí é que vejo mesmo.

Tem um, tipo sessão da tarde, que eu já vi inúmeras vezes, se chama em português letra e música (Way Back Into Love).

Em determinado trecho do filme o ator principal, que representa um cantor/compositor decadente, Hugh Grant, diz para sua parceira, Drew Barrymore, que é escritora, que uma música pode mudar o dia de uma pessoa. Coisa que eu acredito piamente.

Não sei quantas vezes, me dirigindo para o trabalho, ao ouvir uma música que eu curtia, meu espírito simplesmente mudava. Chegava lá ótima.

Então, nos últimos dias de 2019, que não foi fácil para ninguém, na nossa página do Facebook, a pós50 , eu planejei um trecho de música por dia, porque quero as pessoas cantando, fazendo do seu dia, um momento melhor.

Vamos cantar minha gente, deixar a tristeza para lá e espantar nossos males!

Solta essa voz!

Um dia é diferente do outro

Hoje eu estava olhando a internet e ouvi uma música linda, uma homenagem ao dia dos pais.

Resolvi dar continuidade à playlist no YouTube. Aquela seleção de músicas era fantástica e fui tomar meu banho com ela.

De repente me vi cantando loucamente, como há muito tempo não fazia, porque realmente um dia é diferente do outro.

Quando se está doente e diga-se de passagem tem um ano que essa condição se agravou em mim, nem todos os dias dá pra seguir uma rotina legal.

As vezes a minha se resume à médicos, exames, fisioterapia, isso é uma constante. Outras vezes até internação hospitalar acontece, mas ontem numa consulta minha neurologista me falou: menina que fila, hein?! Mas você tem uma cabeça tão boa!

Tento converter tudo em uma lição de vida, um degrau a superar, um passo de cada vez. Minha cabeça nem sempre me dá a positividade que eu gostaria, as vezes é cansativo viver assim.

Confesso que hoje foi diferente! Tinha tempo que eu não fazia isso: cantar.

Óbvio que sou uma cantora de banheiro, do chuveiro, mas sempre gostei e acreditei, principalmente na frase, quem canta seus males espanta!

Botei pra fora! Alegre, feliz e contente, afinal de contas quem me segura sou eu mesma!

É óbvio que as pessoas à minha volta fazem a diferença de qualidade na minha vida, mas é a gente, a nossa auto estima que faz total mudança de espectro.

Hoje dei uma recuperada, uma recauchutada na minha alma e resgatei a Adriana de algum tempo atrás.

Vai lá minha gente solta essa voz, que a vida é para ser vivida intensamente, em todos os momentos!