Sobre adrianafetter

... sempre em crescimento pessoal, tentando ser o melhor de mim!

Jô Soares, um pouquinho de nós

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu…

Roda viva – Chico Buarque e MPB4

Hoje morreu Jô Soares… se aconchega uma tristeza em mim.

Fez parte da minha vida, a vida inteira.

Os programas de humor, assistia todos.

Ele me fazia dormir tarde, porque eu queria assistir todas as entrevistas do sofá, no final da noite. Incentivava a minha notivagacidade (não sei se tem essa palavra, mas em mim existe).

Com ele era possível viver cultura, política, humor,futebol.

Gênio!

E o Brasil vai ficando mais triste, mais sem graça, as risadas diminuindo…

Fica uma saudade… Fica o enorme legado.

E agora minha vó?!

Sou uma neta privilegiada, tenho o livro, da minha avó paterna, Amélia, que descreve todo o gerenciamento de uma casa. Tem de tudo, o mais precioso para mim, cardápios detalhados. Foi um presente de minha madrinha.

Privilégio duplicado, há alguns anos, minha tia Eny, me entregou o caderno de receitas da minha avó materna, Olga. Minha tia acreditava ser eu uma das herdeiras, das prendas de minha avó Olga, pois algumas vezes cozinhei para ela.

É um caderno simples, capa de papelão, costurado no meio, daqueles em que se anotavam as despesas do armazém. Consta ali, ao final, inclusive, algumas despesas da época.

Guardo com muito cuidado, por sua precariedade, passadas muitas décadas, desde sua primeira anotação. A capa está a desmanchar-se.

Que letra linda e desenhada, foi a primeira impressão, me pareceu que outras pessoas ali escreveram receitas. Algumas grafias feitas em caneta tinteiro, outras em lápis ou caneta comum.

Resolvi transcrever algumas receitas, após o pedido da receita de quindins, solicitada por uma prima. Presente garantido em nossos aniversários.

Quindins, é uma das poucas receitas detalhadas. Vó Olga só apontava os ingredientes e rapidamente o cozimento. Tinha todo o processo guardado em sua cabeça.

E agora minha avó?!

  • o que seria um pão de 200 réis;
  • meia quarta de batatas ou uma quarta de amêndoas;
  • uma dita de manteiga
  • Ou quanto é Cem réis de caninha ou spirito (não faço ideia o que seja esse).

O mais fácil, até agora, foi converter libra em kilo ou gramas…

Em uma pesquisa no Google, encontrei referências à antigas medidas lusitanas. Algumas datam da mudança da família real para o Brasil, sem, no entanto, ter qualquer registro da conversão de quarta ou dita.

Tem sido uma aventura, deliciosa, traz as melhores recordações, de quando, muito pequena, mal os olhos transpunham o tampo da mesa, observava as prendas de minha avó como confeiteira.

Os quindins, ou queijadinhas, desabados ao desenformar, tinham paradeiro certo, a barriga dos netos presentes.

A vida e suas histórias

Nossa vida não daria um livro? Por suposto que sim!

Sou uma apaixonada pelas histórias da pessoas, suas crônicas de vida. Sim, porque a história de cada pessoa, para mim, é um conjunto de crônicas, cada etapa vivida a soma de várias vidas.

Nessa caminhada existe a possibilidade de ser feliz, a opção é nossa, pessoal e intransferível! A minha opção foi ser melhor, a cada dia, superar o dia anterior.

Nem tudo é fácil, não é verdade?! Faça aquilo que você puder fazer para olhar o passado e poder dizer, eu não mudaria nada, porque o que fui foi o melhor de mim, naquele momento.

Sou grata por cada situação que tive de superar, amadurecer, para chegar até aqui.

O que me sustentou, os meus alicerces, foram as relações de carinho que eu estabeleci no decorrer dos anos e a compreensão de que minhas atitudes eram o que minha maturidade permitiu, naquele momento.

As minhas decisões de vida e compreensão dela me definem, vou me reinventar em cada fase necessária, em cada momento de evolução, somar cada momento de alegria e intensidade, assim poder dizer a mim mesma, fui e sou feliz.

Assim é a vida, imagine, sonhe, porém não deixe de concretizar, faça com que o seu sonho vire uma realidade, um momento de felicidade.

A vida pode ser um charme, uma história a ser contada.

Há dias que são alegres, que se tem vontade de inovar. Outros que podemos aproveitar para aprender, evoluir, com os percalços que se apresentam.

Você tem a opçao de se abrir para a vida, perceber a alegria e beleza ao redor.

Dificuldades existem, sempre, e é como as encaramos e superamos que fazem com que elas se transformem em crescimento pessoal. Nunca, definitivamente, deixe de sonhar, possibilidades acontecem em qualquer momento.

Use a sua sensatez desenvolva o seu equilíbrio interior, olhe com sabedoria para si e para a sua essência. Você pode e sempre será muito melhor, se assim se permitir.