Roda Viva

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente…

É assim que me sinto em alguns dias dessa nova era brasileira. Vez ou outra preciso me retirar e reenergizar, porque viver fora dos padrões de dignidade humana tem sido sufocante.

Eu fui atingida nas minhas crenças de valores humanos e de justiça, porém tem brasileiros sofrendo na carne, estão vivendo abaixo da linha da pobreza.

As pessoas ficam indignadas ao assistir às cruéis cenas dos venezuelanos buscando comida no lixo. Eu gostaria de dizer que isso está acontecendo aqui no Brasil neste momento, a diferença, a televisão não mostra, porque não interessa a consciência e a crítica política do nosso povo.

Me diz porque a sua indignação é seletiva?! Consegue ser solidário ao distante, mas é indiferente ao seu conterrâneo, não enxerga ou pior ignora o que acontece debaixo do seu nariz.

Concorda com as mortes violentas nas favelas e esquece que quem financia a violência mora nos endereços abastados, onde é inimaginável uma operação policial nos moldes das que acontecem onde vivem os mais pobres. Ou você acredita mesmo que um moleque aliciado pelo tráfico comprou um fuzil que custa mais de R$50 mil?! E aquele cara que importa mais de 117 fuzis e mora num condomínio é o que?!

Provavelmente o dono do dinheiro do crime convive com você, esteve numa festa onde você também estava, ou num show maneiro que você assistiu. Mas morte de tiros de helicóptero merecem os favelado, crime existe para pobre. Ninguém segue o dinheiro.

Trabalho análogo à escravo e infantil também está valendo, afinal você pode comprar aquela roupa da moda que você tanto queria numa loja que explora essas condições. Não importa as lágrimas de quem fez.

O Brasil que condena a invasão de terras pelo MST é o mesmo Brasil que aplaude os fazendeiros que invadem e grilam terras, desmatando 19 hectares por hora na Amazônia, pela boa produtividade do agronegócio.

O capital se importa com o consumo, nunca com as pessoas. Você também se torna escravo dos seus desejos.

O dinheiro pelo dinheiro não tem ética. Onde anda a sua consciência social?!

Hoje temos no Brasil 55 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza, desses, 5 milhões, vivem na extrema pobreza, isso significa sobreviver com cerca de R$7,00 por dia, são os miseráveis.

Que merda de vida é essa onde commodities valem mais que vidas?!

Estamos passando pela vida deixando as marcas da destruição pelo caminho.

Esse verso de Chico Buarque define o que sinto em alguns dias

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente…

Se o Brasil sobreviver, me avisem quando esse momento de subumanidade acabar.

As ruínas do preconceito

pós 50

subway-2164661_1920

Rute pegava o metrô todos os dias, ía cedo para o trabalho, nem sempre conseguia entrar no vagão exclusivo para as mulheres, as vezes cheio demais, outras ele já estava parado na descida das escadas. Tinha que correr e entrar na primeira porta do vagão.

Via muitas colegas reclamarem do assédio nos transportes, nunca tinha visto nada, então, em na sua cabeça já tinha um pensamento pronto, deve ser a roupa ou os modos delas, por isso venho sempre vestida como mulher de respeito, ninguém me incomoda.

Nem dava ouvidos, afinal a culpa era delas que não se davam ao respeito. Ela tinha sido muito bem educada, na igreja todos elogiavam sua seriedade.

Ouvia, vez em quando, maledicências na sua paróquia. Algumas famílias tinham se mudado, falaram que o padre não era sério. Como assim?! Até nome de santo ele tinha! Padre Antônio, era caridoso, ensaiava o coral de meninos…

Ver o post original 1.378 mais palavras

Horizontes

pós 50

Ela tinha um olhar triste, o horizonte parecia não ter fim, assim como o seu sofrimento.

Não entendia o porquê de continuar ali, na verdade só fazia pela filha, queria lhe dar um futuro melhor que o dela.

Respirava fundo a cada dia e pensava, ela merece ter uma vida melhor que a minha.

Os dias passavam lentamente, quem mandou não estudar?

Dependia completamente do salário do marido, pelo menos ele pagava o estudo da menina e o plano de saúde, para ela restava a fila do postinho.

Antes do casamento todos lhe diziam é um partido de ouro você tirou a sorte grande, ela também pensava assim.

Homem estudado, tinha feito administração, trabalhava numa boa empresa ía lhe dar uma vida de futuro.

O futuro foi uma casa para limpar, que ele sempre dizia que não brilhava o suficiente, a comida para fazer, que nem aos pés chegava perto…

Ver o post original 518 mais palavras

Atalhos

Quais os atalhos emocionais que você pega na vida? Como eles te ajudaram? Se ajudaram…

pós 50

walk-2635038_1920

Minhas caminhadas para a fisioterapia e para o pilates tem como objetivo principal chegar lá, mas também tentar restabelecer um pouco da forma física perdida.

Os primeiros dias foram bem doloridos, as pernas incharam, doeram muito, então fui procurando evitar as subidas.

Achei alguns atalhos, entro num shopping próximo e subo a escada rolante, evito a subida e o sol escaldante. Carrego comigo uma sombrinha, ela reflete os raios solares, e estou sempre de tênis.

Agora também descobri uma rua com mais sombra, passei a dobrar nela, assim vou evitando os meus incômodos. Ainda não peguei chuva, aí terei que reavaliar os meus atalhos.

Isso me levou a refletir sobre os atalhos que tomamos na vida, para driblar as nossas dificuldades, acredito que, mesmo sem percebermos, utilizamos vários.

A mudança de trajeto para não encontrar um desafeto, ou alguém que não queremos. Olhar o celular e não atender naquela hora…

Ver o post original 48 mais palavras

Descomporta (AF)

pós 50

retomar…

pela sensibilidade … teu doce

as comportas abriram

espraiei

sangue escorreu  com lágrima

na boca silenciosa

cheia de beijos,

sedenta

irresponsável extravasão

tão contida

por vezes desmedida

que descomporta

me inconforma

tudo que escorre

pelos dedos

ser incontrolável

a noite percebida

distraída na manhã

trouxe  despedida

retornaremos…

meu verso …

minha poesia

(Adrianafetter)

Ver o post original

Turbilhão (AF)

Uma das minhas poesias…

pós 50

Não quero essa saudade invasiva

Inexplicável, resoluta, inquietante,

Buscando em mim outro ser que não domino.

Quero de volta minha racionalidade

Inteira, absoluta

Acalmando meu corpo que deixaste latente

Espero absorver o impacto de tua passagem

Instigante, diferente

De tudo que sou, de tudo que fui

Para retornar o eu de amanhã

Já não há volta

Há contornos, flashes

Arrepios no corpo

Frios na alma

Quem sou eu agora?

E você?

O que faz você?

Repete minha mente

Sou um pouco de você

Sou muito de mim

Sou um meio nós, de amanhã.

Amanhã um novo começo.

Poema AdrianaFetter – Agosto 2007

Ver o post original

O seu melhor tempo é o presente

Aproveite cada oportunidade da vida, vivencie o seu presente, o passado se foi, o futuro é incerto e não sabido…

pós 50

Aqui e agora

Como você está tratando as pessoas que vivem ao seu lado? Como você reage a um carinho, quando alguém fala com você, mesmo que você esteja ocupado?

Não deixe para depois, porque o seu melhor tempo é agora, o amanhã pode ou não acontecer, tudo muda em um segundo. Muitas vezes não temos segunda chance de dar atenção ou afeto.

É tão triste nos arrependermos de não ter feito alguma coisa, ou quando gostaríamos de ter feito diferente, gostaríamos de ter dado mais atenção e mais carinho a uma pessoa e isso não aconteceu.

O tempo nunca volta ele aqui e agora.

Uma frase que a minha mãe sempre disse: ajuda de criança é pouca mas quem recusa é louca . Carrego isso comigo.

Muitas vezes, quando estamos ocupados, nosso filho pequeno chega e tentar de alguma forma chamar nossa atenção, ou tenta ajudar, ou ainda nos…

Ver o post original 230 mais palavras

Cresça, com muita raça

Ser mulher e ter que se provar todos os dias!

pós 50

Comecei este texto com um objetivo e, de repente, mudei. Por que eu mudei completamente o rumo do texto que eu iria publicar hoje?! Porque surpresas e problemas aparecem no nosso caminho a todo instante. Ía falar sobre a experiência com o Google, mas minha mulher e a vida falaram mais forte, hoje o foco será mulher, emoção e força.

Eu participei de duas etapas do Cresça com o Google e, numa delas, uma das palestrantes falou da importância de as mulheres liderarem suas próprias vidas.

Eu só digo uma coisa para vocês, tem que ser muito forte pra ser mulher, porque a vida nos dá muitas rasteiras. Nos coloca a prova à todo o momento.

Primeiro nas relações sociais, onde nos impõe regras e mais regras desde pequenas e elas só aumentam no decorrer de nossas existências. Depois no casamento e quando nos tornamos mãe, cobranças mil de comportamento…

Ver o post original 270 mais palavras

Aniversário

Só importa se você se importar, vá ser feliz, você se basta!

pós 50

bus-1615549_1920
Na parada de ônibus, voltando para casa, ela se perguntava como seria o encontro com o marido. Ao levantar ele não lembrou do seu aniversário, no mesmo dia, indo almoçar ela lhe telefona, convidando para almoçar, ele diz que está ocupado. Mais tarde pergunta se irão comer uma pizza, ele responde, quer gastar mais do que já gasta?!

Que dia! Fora os cometários da vizinhança que ela estava mesmo levando um par de chifres, que ignorava solenemente. O que valia para ela era ter seu homem em casa, lhe amando, mas nem isso percebia mais, o carinho de antes.

A verdade é que naquela noite, mais do que nunca, ela desejava uma grande demonstração de atenção, queria se sentir viva, mulher, ansiava por carinho. Não só porque era o seu aniversario, porque sentia saudade dos dias que se sentia poderosa.

O ônibus chegou, sentada no degrau, único lugar que encontrou…

Ver o post original 194 mais palavras

Músicas preferidas e seus links

Muita música boa e muita lembrança boa em cada uma !

pós 50

Fiz essa lista tem alguns anos, tenho que complementar, mas estas moram no coração ❣

Um bom livro te inspira, mas nada toca mais diretamente a nossa alma, em minutos, como uma ótima música.

Qual é a música que te emociona, toca direto o seu coração?!

Essas são as minhas, de ópera a rock and roll.

1. Madame Butterfly – Maria Callas canta Puccini http://www.youtube.com/watch?v=mN9Dipgqdtw

2. Lago dos Cisnes – Tchaikovsky – Cisne Negro http://www.youtube.com/watch?v=Jeo-s7Sfiqc

3. Sonhos – Peninha – http://www.youtube.com/watch?v=k4P1krxX2yE

4. Sol de Primavra – Beto Guedes – http://www.youtube.com/watch?v=4vsCPkGt9KM

5. The closer I get to you  Roberta Flack & Donny Hathaway – http://www.youtube.com/watch?v=_jhYENBxRVo

6. You and Me e I never cry – Alice Cooper – http://www.youtube.com/watch?v=6ur55juZ4Og e http://www.youtube.com/watch?v=zeFvZ3f5bAY

7. Ben – Jackson 5 – http://www.youtube.com/watch?v=h0eKPBvyk_4

8. I’ll be there – Jackson 5 –  http://www.youtube.com/watch?v=ehal1eUG1jk

9. Sonata ao luar (Melodia em ré menor) – Beethoven – http://www.youtube.com/watch?v=4QbmCMLMH0E

10. O que…

Ver o post original 527 mais palavras

Deixa a mente me levar…

Muito bem, em 2019 não deixei de sonhar, tem sido um ano de resgates, ainda precisando cuidar da minha saúde. Essa viagem não será possível neste ano, mas já está planejada para o ano que vem, de uma maneira diferente, com mais conforto, hotel e talvez um carro alugado.
Sempre há tempo de sonhar e realizar!

pós 50

As viagens e seus planejamentos sempre me ajudam a manter minha mente sã.

Ano passado foi difícil, doença, internação hospitalar, demissão do trabalho de 15 anos, paralisia facial.

Criei o blog e a página Pós50, uma maneira de ocupar a mente, além de fixar a minha agenda pessoal em cuidar da minha saúde.

Ter ultrapassado a barreira dos 50, trouxe consequências no desgaste do corpo, mas não da mente.

O início de 2018 veio recheado de uma grande vontade, ultrapassar a fase dos problemas de saúde, me dediquei com afinco, por todo 2017, nessa superação, procurando sanar quaisquer resquícios de doença.

Me dei o direito de pensar numa futura viagem com o meu marido, férias mais amplas do que os poucos dias que temos tido.

Queria mostrar a ele o Portugal, que tanto me apaixona. Acho que é um saudável compromisso comigo mesma e com ele, merecemos.

Assim, mentalmente, estou…

Ver o post original 113 mais palavras

Eu filha, eu mãe

Feliz dia das Mães❣️

pós 50

Este é o texto que resolvi fazer pelo Dia das Mães.

Não vou aqui glorificar a maternidade, vou tentar ser o mais honesta e real possível, porque eu acredito que assim é a vida, momentos de amor e alguns de quase pesadelos.

Essa é a minha realidade de vida, algumas pessoas poderão se identificar outras não, é a minha história como filha e como mãe.

Ser criada em uma família de mãe com origem alemã não foi fácil, as mães alemãs não demonstram muito os sentimentos, isso seria sinal de fraqueza. Minha infância foi difícil, não queria isso para os meus filhos.

As exigências para com os filhos germânicos é quase de perfeição. Além disso não espere demonstrações de afeto. Minha avó, que amo profundamente, não está mais entre nós, demonstrava o seu gostar pelos netos pela comida, você recebia dela lanches no meio da manhã ou tarde deliciosos, doces após…

Ver o post original 200 mais palavras

Doses De Clarice Lispector

#MaisAmorPorFavor

pós 50

O caminho que eu escolhi é o do amor.

Não importam as dores, as angústias, nem as decepções que eu vou ter que encarar.

Escolhi ser verdadeira.

No meu caminho, o abraço é apertado, o aperto de mão é sincero, por isso não estranhe a minha maneira de sorrir, de te desejar o bem.

É só assim que eu enxergo a vida, e é só assim que eu acredito que valha a pena viver.

Ver o post original

Querido diário – posse e porte de arma

Querido diário eu gostaria de agradecer, imensamente, ao senhor presidente o decreto funesto de permissão do porte de armas e o aumento para aquisição de 5mil unidades de munição, ao invés das 50 hoje permitidas.

Contra tudo e contra todos, inclusive as pesquisas nacionais e mundiais, agora várias categorias de cidadãos poderão conduzir suas armas carregadas.

Como mulher, eu também gostaria de agradecer, querido diário, porque agora aumentou as probabilidades das mulheres sofrerem mais feminicídios, cujos números já são assustadores.

Como cidadã, eu também gostaria de agradecer, porque já discussões, onde as pessoas puxaram armas e atiraram a esmo, matando uns aos outros e a quem estava só passando.

Posso citar, querido diário, um caso acontecido no distrito federal, onde um policial civil, por estar irritado, num congestionamento, atirou e atingiu uma criança, dentro de um carro.

Como mãe, eu me assusto com a possibilidade dos acidentes domésticos, com as crianças que terão acesso as armas liberadas.

Como a pessoa, eu fique pensando tristemente, na possibilidade do aumento dos números de suicídio, pela facilidade ao acesso às armas.

Os próprios policiais numa blitz, querido diário, ao enxergar uma arma dentro de um carro do cidadão, qual será a reação deles? Eles também estarão à mercê da morte, ou matar ou morrer.

Foi pensado, no momento desta liberação, que as armas que são roubadas, em sua maioria, vão parar nas mãos do crime organizado?!

Provavelmente, com os conflitos agrários que temos no Brasil, a zona rural vai virar um faroeste!

Deixo aqui uma pergunta, querido diário, a arma é um instrumento de ataque ou de defesa?!

Querido diário por que antecipar esse tipo de liberação, se no Congresso já estava tramitando um projeto de lei que analisava o assunto?!

Essa provação foi eleitoreira e oportunista. Não tem nada a ver com segurança pública e sim com interesses empresariais.

A quem esse decreto beneficia, efetivamente?! Para mim só tem uma resposta: a indústria do armamento!

Ciclos

Voltarei a Pelotas agora em maio, é impressionante como toda essa reflexão volta a mente, nas minhas viagens a minha cidade, sempre que vou para lá.

pós 50

Sempre que eu estou em Pelotas avalio o passado e o futuro, pelas condições do meu presente. Percebo a situação em que se encontra a minha mãe, já esquecida de si mesma.

Quase uma criança, feliz com a festa de aniversário, os olhos brilhando pelas pessoas cantando parabéns, na frente de um bolo.

Penso na minha própria caminhada para a velhice. Os esquecimentos, as lembranças, as pessoas que encontrei em minha trajetória, o sentido de minha própria passagem por esta vida.

Envelhecer não é fácil, existe uma luta diária contra as dores e aflições da alma e do corpo. Este último não acompanha a velocidade dos nossos pensamentos.

Ao ver a minha mãe então velhinha e tão esquecida reflito, o quanto e até onde viveremos bem.

Também assisti a tristeza e o esforço da minha cunhada frente a velhice da sua cachorrinha, que ela e o meu irmão, já falecido…

Ver o post original 114 mais palavras

Eu faço a diferença!

Coerência faz parte da minha existência!

pós 50

Sou de uma faixa etária de mulheres que abriram as segundas portas, antes de mim houve varias gerações que tiveram que chutar, arrombar, as primeiras, algumas inclusive morreram na luta.

Estou cansada de pessoas eleitas que não pensam um pingo em mulheres e crianças, que pensam apenas em satisfazer a suas ambições pessoais.

Sempre falo que as mulheres nascem com o instinto maternal, não precisam sequer ser mães, porque sabem cuidar, são multitarefas.

Então porque somos minoria nos cargos eletivos? Porque confiamos em homens e não confiamos em mulheres nas eleições?!

Sou mãe tem um casal de filhos e, não é que eu não confie no meu filho como pensador e executor, muito pelo contrário, ele me prova a cada dia que dei uma educação de respeito à mulher, mas ele não é uma mulher e não tem a dimensão do nosso mundo íntimo.

Eu quero que a geração das…

Ver o post original 226 mais palavras

Querido diário #resistência segue #resistência

graphite-2660516_1920

Grafite de Mari Monteiro

Querido diário você acha que eu só fico aqui desabafando com você?! É claro que não! Eu e minhas amigas, feministas de muita ousadia e coragem, resolvemos, há algum tempo, sermos resistência a esse desgoverno e criamos um grupo: o Politize-se. Estamos no Facebook, no Twitter (@se_Politize) , e no Instagram (@se_Politize),

Querido diário chegou a hora de começarmos a realmente organizar a resistência.

A resistência não publica e só repassa notícias, tem que se produzir conteúdo, ela dissemina conhecimento, ela vai ao debate público, ela vai para as passeatas, faz vídeo, live, procura documentos, se atualiza ou dá cursos, Segue blog e se atualiza por eles também.

Você não precisa participar de tudo, mas se organize para participar de alguma coisa, você é necessário neste momento!

A resistência, para ser resistência, tem que se fundamentar e rebater aquilo que acha que é errado, prejudicial ao povo e ao país em que vive. Principalmente, se as políticas públicas que o governo aplica e as informações que está disseminando são de profunda má-fé.

Então, querido diário, eu resolvi fazer uma lista, para a resistência seguir a resistência e se aprofundar no debate.

Você pode ser #esquerdistasseguemesquerdistas ou somente #resistênciasegueresistência, mas certamente com esta lista você vai se orientar e achar o seu nicho.

Porque são muitos os alvos desse governo, e é necessário muito combate, para cada política que está sendo desmontada.

street-art-2779341_1920

Grafite justraveling

Usem essas # Se identifiquem, se unam.

Segue aí minha gente a nossa lista de resistência, organizada com a minha amiga Denise Ippan. Quem quiser, me mande mais canais e eu irei atualizando aqui.

Querido diário – geração #PauloFreire

Querido diário ontem fui chamada por Carluxo de geração Paulo Freire. Que honra, isso demonstra que eu tenho senso crítico, eu tenho diálogo, eu tenho a capacidade de discernir o certo e o errado, eu sou um ser político que conhece seus direitos e seus deveres.

Foi um afago no coração essa condecoração, por conhecer este incrível educador e seguir seus preceitos, como professora que fui. Um mestre reconhecido no mundo inteiro, com títulos de doutor honoris causa, é uma titulação inenarrável ser reconhecida por geração Paulo Freire.

A geração Paulo Freire, querido diário, acredita num Brasil melhor e mais digno, mais justo para o seu povo, por meio da educação, porque sempre soube que era a melhor saída para o desenvolvimento do nosso país.

A geração Paulo Freire nunca pensou em cortar investimentos da educação, nunca pensou em cortar investimentos da pesquisa, nunca desqualificou os professores, as universidades que são polos de excelência em pesquisa, de ciência e tecnologia e de extensão.

Querido diário é um orgulho pensar que os professores, a educação e as universidades públicas sempre contribuíram por um país melhor.

Querido diário é dignificante honrar um professor, como ele merece, porque dele vem a formação e o conhecimento dos estudantes, que são o futuro do nosso país.

A geração Paulo Freire, querido diário, não menospreza a educação e o educador!

Viva a geração Paulo Freire!

Querido diário – arrependimento

Querido diário eu me pergunto quantos eleitores do Bolsonaro estão arrependidos de terem votado nele?

Sei que vários professores votaram, mesmo sem nunca terem visto uma mamadeira de piroca numa creche, uma aula de abuso sexual em suas escolas e nem tão pouco a doutrinação marxista, de que falam… Me pergunto como esses profissionais estão reagindo a retirada dos cursos de filosofia e sociologia do ensino superior, se concordam com as mudanças na educação, com o novo ministro e com as propostas estapafúrdias, com o corte de verbas para as bolsas de pesquisa?

Também sei que alguns amigos, que defendem um mundo com atenção a natureza, a sustentabilidade e a preservação das áreas de Proteção ambiental também votaram neste candidato. Aí me ocorre a mesma indagação, satisfeitos com o desmonte do CMBIO, do IBAMA, com o descaso com o meio ambiente, com a perda de grande parte da equipe técnica demitida, com mais de 20 anos de experiência na área? E a proteção da natureza e das águas, com os mais de 400 agrotóxicos aprovados? O desmatamento da Amazônia, a invasão pelos grileiros e pelas mineradoras das terras indígenas preservadas? Como eles estão se sentindo com isso?

E as pessoas da saúde? Milhares de brasileiros sem atendimento médico, principalmente no interior do país, porque os médicos cubanos foram mandados embora e os brasileiros só assumiram em lugares convenientes. Hoje os hospitais estão cada dia mais lotados, porque as unidades de saúde foram fechadas ou estão sucateadas. Como estão sentindo?! Sei de uma médica, porque ela me disse, com mais de 20 anos de profissão, que a é primeira vez que tem vontade de se demitir do hospital público, porque ela gostaria de estar atendendo os casos graves, da área dela, AVC, infarto do miocárdio, mas está atendendo gripes, resfriados, infecções de garganta, porque a população não tem mais posto de saúde… O atendimento básico à saúde acabou!

Segurança pública, estão gostando? A única coisa que eu tenho visto é a morte de pessoas sem qualquer ligação com o crime, de trabalhadores, não estou vendo nenhum combate ao crime organizado e as milícias. As taxas de feminicídio aumentaram drasticamente. As mulheres se sentem mais seguras com a liberação do porte de arma?! Passou a sensação de que é possível ser estuprada a qualquer momento?!

Quem votou nele está gostando da reforma da previdência? Ou vai ser atingido por essa reforma em cheio?! A reforma que não mexe com privilégios de bancos, que aumenta o soldo dos militares significamente (em alguns casos em até 73%), que não mexe com grandes fortunas. O cidadão comum tem que pagar impostos, o de renda e todas as taxas impostas pelo governo, como IPVA e o IPTU. E para as grandes empresas o governo é um pai cheio de bondades, tem parcelado seus devidos impostos, inúmeras vezes, com imensos descontos, sem necessidade alguma, tem até um cidadão que conseguiu parcelar em 104 anos.

Os ricos não pagam taxas pelo seus aviõezinhos, nem pelo seu jet-ski, pelo seu iate, podem voar e navegar livremente, sem taxa nenhuma, sem imposto nenhum por esses bens de nenhuma necessidade, você está sentindo representado?

Não questiono nenhuma pessoa da área da economia liberal, essas votaram conscientes com o que pensam, com o desmonte do estado, na desestatização, de acordo com o pensamento liberal. Votaram por este motivo, são extremamente coerentes com seu voto, até tinham outros candidatos para votar: o Alckmin, o João Amoedo, o Meirelles, até mesmo o Ciro Gomes, que já foi ministro da fazenda. Temos aqui um fato concreto, não quiseram arriscar, preferiram votar num inepto e inapto, apostando em Paulo Guedes.

E os filhos querido diário, o que é isso?!

Querido diário tem sido difícil assistir a tudo isso, como já falei antes, mas eu sabia que tudo isso iria acontecer e por isso repudiei desde o início este candidato. Eu não tenho nenhum arrependimento do meu voto.

querido diário como viver nesse país onde as pessoas deixaram de se importar e agora o que realmente importa?! É só o dinheiro, o capital, o dólar, a bolsa? Qual o cidadão comum que aplica o seus parcos recursos nesses lugares ?! Aliás, aplicar o quê?! Muitos deles estão desempregados e nem se sustentar e a sua família conseguem…

Trocaram o ser pelo ter! Só que quem vai ter não é o povo brasileiro, é aquele que sempre teve e cada vez terá mais!

Ovos nevados – diferente

Delicia de sobremesa, uma das minhas preferidas!

pós 50

merengue0Falsos ovos nevados

Vou falar inicialmente sobre a  receita original, ovos nevados ou espuma de sapo, era assim que a minha avó chamava essa deliciosa e leve sobremesa. Leva poucos ingredientes, basicamente ovos, leite, amido de milho e açúcar.

Bate-se as claras em neve, depois acrescenta-se açúcar ( 2 colheres por clara), ferve-se 2 litros de leite e vai colocando colheradas das clara em neve (merengue) para cozinhar ali.  Retira com a espumadeira e deita em um prato refratário.

Ao terminar o cozimento das claras, pega-se as gemas coadas e se faz uma gemada (1 colher de açúcar para cada gema, mistura-se o amido de milho (1 colher de sopa cheia) e leva-se ao leite, mexendo sempre até engrossar, se quiser acrescentar baunilha, fique a vontade (eu coloco) … depois coloca o creme junto do merengue cozido e leva-se a geladeira, pronto!

Agora vamos a receita falsa, chamei de falsa…

Ver o post original 87 mais palavras

Querido diário – Humanas

Querido diário confesso que ando meio inquieta.

Fiz Estudos Sociais depois História, cursei, parcialmente, uma pós-graduação em Educação e Ciência Política e, por final, um mestrado em Ciência Política. Como gosto das ciências humanas! Como elas são perigosas para os ditadores!

Tive excelentes professores, já no segundo grau e olha que eu fazia um curso técnico de laboratório, porque, a principio, pensei em fazer medicina.

Esses professores me influenciaram, a ponto de resolver seguir uma carreira acadêmica. Eles instigavam o pensamento crítico, o debate, a análise. Estávamos na época da abertura política e nem tudo era permitido, mas os sonhos eram grandes.

A ditadura já tinha acabado com a filosofia, retirou das matérias curriculares e colocado em seu lugar moral e cívica e o OSPB. Os alunos, para eles, os autoritários, tinham de aprender os hinos e esquecerem de pensar, era só decorar a letra.

Mas a minha geração não queria só cantar, até queria, mas as músicas eram diferentes, Para não dizer que não falei de flores, cálice, Coração de estudante, Vai Passar, O bêbado e o equilibrista, entre tantas. Queríamos ouvir o Ivan Lins, o Chico, o Milton, a Elis Regina, o Gonzaguinha, o Geraldo Vandré, o Taiguara, queríamos a voz da resistência e da liberdade e queríamos gritar aos quatro cantos que um dia o julgo deles iria acabar!

Querido diário, tem sido difícil, tempos difíceis, angustiante assistir o desmonte do Brasil, o retrocesso, a destruição das políticas públicas, tão importantes. Eles querem nos dobrar!

Sabemos que somos #resistência, que estamos irmanados em não deixar esse governo leviano destruir o Brasil.

Nossa, querido diário como tem sido difícil, como tem doído, como, as vezes, querendo manter a cabeça erguida, nos vergam, aí choro, existe uma corda que aperta nosso pescoço, nos joga ao chão, mas sabemos que precisamos lutar.

Diário, meu querido diário, mesmo assim não quero esquecer nenhum dia desses, por vezes, em desespero, porque ainda sou historiadora. Mesmo assim pretendo levantar a minha voz, em todos esses dias.

A humanidade das ciências humanas me ensinou que eu posso e devo lutar, por aqueles que não tem voz!

Querido diário – mulher objeto não!

#NaoSouMulherObjetoDeGringoSenhorPresidente

Querido diário,

Resolvi registrar o que vem acontecendo no Brasil, porque é tão surreal que eu não sei se eu vou lembrar daqui alguns anos, por tudo que nós temos passado com esse senhor presidente.

Eu não votei nele, nesse presidente que está aí, porque, na época do pleito eleitoral, ele parecia ser machista, homofóbico, xenófobo, misógino, enfim uma série de “qualidades” que eu queria bem longe de mim e do meu país. Estou estupefacta, ele é realmente tudo isso!

Ontem, querendo defender o Brasil de uma ameaça gay estrangeira, o nosso presidente ofereceu as mulheres brasileiras para os turistas virem para cá treparem.

É um termo forte, né?! Mas é assim que nós mulheres nos sentimos com esse tipo de fala, tratadas como objeto.

Veja bem querido diário o sexo seria só com as mulheres, só homens com mulheres, melhor explicando, homem com homem não pode, mulher com mulher também não!

Eita, já pensou se no Brasil tivesse turismo sexual?! Já pensou se no Brasil tivesse turismo sexual com crianças, com meninas?! Ainda bem que este senhor pensa no seu país e num ato de bondade oferece só as mulheres do Brasil para transar com turista!

Querido diário eu queria dizer vários impropérios, neste momento, mas eu te respeito, os palavrões seriam para ele, não para você.

Fênix (AF)

Boa tarde poesia!

pós 50

Esqueço de mim ao voltar

Quero ignorar cada minuto de sofrimento

Apenas reconsidero os bons momentos

Eles alimentam minha esperança

Caio neles com todo o meu ser

Imaginar… constante…

Repenso e recomeço nas reflexões

Vejo os contornos e nuances dessa trilha

A cada inspiração um agradecimento

Ter do que lembrar e reviver

Meu pensamento voa junto com a aeronave

Ainda não sei o que será …

Mas reciclo para ser!

Poema de Adrianafetter

Ver o post original

Eu, meu amigo do peito, meu irmão camarada, será?!

Vamos valorizar o bem que há em cada pessoa, o mais é futilidade.

pós 50

dinner-2330482_1920 (1)

Vamos tentar ser nossos bons amigo?! Sim, gentis conosco mesmo?!

Eu já fiz um texto sobre auto sabotagem e autoestima, vou bater muito nessa tecla, porque acho que não existe quem faça críticas piores a nós mesmos do que o nosso ser. Isso é muito ruim, nós devíamos aprender a nos tratar com carinho, porque o mundo é muito duro. Lá fora o mundo vai nos bater e nos bater como se nós estivéssemos em um ringue de box.

Nós temos que aprender a nos amar, porque quando o mundo nos bater, nós temos que ser a nossa salvaguarda e não nos deixar abalar mais do aquilo deveria abalar, não aumentar este sentimento mais do que ele realmente significou.

Temos que tomar cuidado com as nossas reações internas, aquilo que nós mesmos nos causamos e com aquilo que os outros nos transmitem de crítica.

E aqui vai um recado específico…

Ver o post original 442 mais palavras

Sorvetão com calda de chocolate

Já pensou qual sobremesa fazer na Páscoa?!
Delícia para a família toda!

pós 50

Para mim não importa se está ou não frio, sorvete sempre é perfeita escolha.

Se estiver frio, então, porque não inovar e fazer essa receita de sorvetão?!

Para começar:

– Calda de chocolate

Misture bem 10 colheres de chocolate dissolvidas em 9 colheres de água numa forma com buraco no meio, leve ao congelador por no mínimo 3h.

– Creme do sorvete

1 lata de leite condensado;
1 lata de leite (a mesma quantidade da do leite condensado);
3 gemas peneiradas;
3 colheres (SOPA) de maisena,
Leve ao fogo até engrossar
Deixe esfriar

Após junte:
3 claras batidas em neve, para cada clara 2 colheres de açúcar
1 lata de creme de leite
misture levemente com o creme já frio.
Coloque na forma por cima da cobertura de chocolate congelada, depois de 6h no congelador (ou freezer) estará pronto

Tire do congelador 20 min. antes de servir.

Desenforme e cubra…

Ver o post original 12 mais palavras

Generatividade – a nossa capacidade de transformação

Por um futuro mais humano, vamos continuar ensinando que o mais importante é SER do que TER…

pós 50

Generatividade – quando eu ouvi pela primeira vez esse termo entendi que se tratava de uma pessoa com capacidade de superação e de fazer disso uma vontade de ajudar os outros.

Que apesar de ter passado pelas piores circunstâncias da vida, ainda tinha algo de muito bom para partilhar com o seu próximo e fazer com que sempre buscassem caminhos de recuperação, aquela pessoa que poderia compartilhar um bom abraço, um amigo que poderia te mostrar a melhor face da vida.

Essa capacidade de amor, generosidade vem da sabedoria aprendida do viver e do superar.

É geralmente na meia idade que surge essa preocupação para com as pessoas, além dela mesma e da sua família.

Aparece uma necessidade de orientar a geração futura, levando em consideração a sua própria experiência de superar na vida. Orientar os mais jovens, sabendo que muitas vezes eles não ouvirão, porque precisam ter a sua…

Ver o post original 56 mais palavras

O que você aprendeu

Você aprendeu que o equilíbrio da natureza é importante.

Você aprendeu que as árvores são importantes.

Você aprendeu que a água é ainda mais importante, pois sem ela não há vida.

Você aprendeu que quanto mais natural a comida, melhor para o seu corpo.

Você aprendeu que tem que ter esgoto, porque a falta dele traz muitas doenças.

Você aprendeu que é importante vacinar os seus filhos, para que eles não fiquem doentes e para que as doenças possam ser erradicadas.

Você aprendeu que uma educação de qualidade pode dar futuro para o seu filho.

Você aprendeu que a ciência é importante para o país avançar e se desenvolver.

Você aprendeu que quando não paga uma dívida, ou seus impostos, você será cobrado com juros e correção monetária.

Então,

Por que você aceita:

  • as agressões à natureza e a destruição das florestas e áreas de preservação ambiental Amazônia;
  • a aprovação de mais de 400 tipos de agrotóxicos, que contaminam a sua comida e a água que você bebe;
  • que digam que vacina causa doenças;
  • que não haja nenhum planejamento no Ministério da Educação, depois de mais de 100 dias de governo;
  • que o governo corte as bolsas de iniciação científica e de desenvolvimento científico;
  • que empresários não paguem suas dívidas com o governo e soneguem impostos;
  • que cortem os seus direitos e dêm mais direitos a quem tem dinheiro?!

Por que cargas você aceita tudo isso?!

As perdas

Será que em algum dia iremos aprender a lidar com a morte?!

pós 50

As notícias de morte sempre me acompanharam no decorrer da minha vida, mas eu estou numa fase em que elas estão aparecendo mais e mais, cada vez mais frequentes e de pessoas mais próximas a mim, o passar dos anos nos traz perdas.

Cada dia isso me abala mais…

Tem época que se foge da lembranças, boas ou ruins, para não sofrer. Por mais distante que se vá, elas estão guardadas na sua mente, as gavetas se abrem e elas voltam inesperadamente.

Há dias que não são fáceis. Perder quem se ama ou mesmo pessoas que passaram por nossas vidas nos faz enfrentar nosso próprio destino.

Tento me preparar, há anos, para a perda da minha mãe, que fará 94 anos no mês que vem. Sei que ela está sofrendo, com a pouca aceitação da fraca qualidade de vida física e mental, isso a deixa abalada. O esquecimento do presente…

Ver o post original 51 mais palavras

Carta da dona Zilá para sua filha Cláudia, 4 anos de desaparecimento

Para Cláudia, uma memória eterna eterna…

Para Cláudia

Cláudia minha filha, a Maria Júlia me disse: quer coisa ou motivo maior ou melhor que saber que os que amamos estão bem?!Procura a renovação mental, pensando em todas as coisas boas que vivencias no momento.

A justiça dos homens não é a justiça de Deus, então é preciso que vivas esses bons momentos na tua vida e deixa que aquelas folhas que se vão vão vão…

A alegria e a emoção me invadiram naquele momento, em saber que estás usufruindo tudo de bom que plantastes aqui na terra.

Aqui as homenagens se sucedem, nos enchendo de orgulho.

O nosso reencontro será lindo! Que Deus me ajude que eu consiga ir para onde estás filha.

A tua Paineira está toda florida e as Nogueiras cheias de frutos. Estás aqui em todos os lugares e momentos!

Te amo filha!

Que Jesus te abençoe e te guarde e Maria Santíssima te cubra…

Ver o post original 7 mais palavras

4 anos – À tua fé o meu respeito

Há 4 anos, no dia 9 de abril, a Cláudia desapareceu…

Para Cláudia

É assim que eu quero lembrar sempre de ti, com esse sorriso largo e feliz.

Dia 19 de março, o processo do teu desaparecimento foi arquivado. Naquela noite, a tua mãe escreveu um texto pra ti e para todos os que acompanham o teu caso, para começarmos uma nova etapa, a de paz, luz e orações por ti.

Tu eras uma pessoa de fé, congregavas a fé espírita. Eu, hoje, quero me colocar no teu lugar e no da tua mãe. Olhar tudo o que aconteceu pelos teus olhos e pensar no que tu, como mãe, gostarias que tivesse acontecido.

E, pensando em ti, em tudo o que vivemos, em mais de 30 anos de amizade, acredito que me dirias, assim foi melhor.

Sabemos que na doutrina espírita sempre viemos juntos, para algum resgate, crescimento e, eu diria, nos meus parcos conhecimentos, em comparação aos teus, que também para a…

Ver o post original 211 mais palavras

O que uma mãe é capaz de fazer pelo seu filho

Cláudia – parte sete

Para Cláudia

Quando temos um amor incondicional e esse amor é para os nossos filhos, não conheço outro amor incondicional, somos capazes de fazer muitas coisas, na defesa deles.

A Cláudia sempre foi incondicional na defesa do seu filho. Por duas vezes discutimos na vida mais seriamente, ambas por divergências na condução da educação dos filhos.

Como boas amigas sempre respeitamos a opinião uma da outra, mesmo na divergência.

Eu acredito que ela teria sofrido imensamente, ao ver seu filho indiciado. Existe, de minha parte, uma tristeza profunda nessa suposição.

Não tenho como mudar o passado, não posso intervir no que aconteceu, não tenho condições para fazer um julgamento. Sofro com isso, mas temos que continuar em frente.

Hoje as poucas coisas que consigo fazer na distância é não deixar a Cláudia ser esquecida e ser presente para a sua mãe, D. Zilá.

Na semana do seu aniversário, que foi dia 27…

Ver o post original 53 mais palavras

A acusação

Cláudia – parte seis

Para Cláudia

Penso, hoje, que o desaparecimento da Claudia será mais um caso insolúvel.

Não temos pistas, não temos materialidade, apenas indícios e antecedentes. Não há testemunha.

O promotor investigou exaustivamente, pediu revisão de pericias, buscou provas e fez dois indiciamentos, que são públicos.

Aqui no blog sempre me coloquei para a Cláudia, a nossa amizade e vivências. Desde o início o meu foco foi para ela e para a defesa dela.

Coloquei, também, diversas vezes que eu não sabia o que tinha acontecido e, portanto, não iria acusar ninguém.

Gostaria muito que esse caso se resolvesse e que os culpados fossem punidos. Punir qualquer um apenas para dar resposta a sociedade, não é fazer justiça.

Eu tenho a minha suposição, mas suposição não prova nada.

Me pego constantemente tentando pensar como se fosse a Claudia, como ela agiria, como ela gostaria que tudo isso se resolvesse.

Hoje, penso que não chegarei…

Ver o post original 42 mais palavras

As perguntas não respondidas

Cláudia – parte cinco

Para Cláudia

Todos se perguntam o que aconteceu com a Cláudia.

São inúmeras as perguntas não respondidas, mesmo para nós, amigos e família, não há respostas.

O que se sabe: Cláudia visitou enfermos, jantou com uma amiga, retornou para casa. Entrou e fez um café, jogou a colherinha na pia, como sempre fazia. Seu filho, de quem sou madrinha, estava em casa.

Se percebeu uma diferença de comportamento, as roupas dobradas no quarto. Como ela visitou doentes, ela não entraria com essas roupas no quarto, ela as colocaria direto na máquina de lavar, porque sempre fazia assim. Por ser uma cientista, que estudava doenças, tomava muito cuidado com contágio.

Sobre as cortinas, no dia da faxina a Cláudia, pela manhã, retirava as cortinas e colocava para lavar, quando voltava para casa, pendurava as cortinas, para secar, já no local delas.

Isso é o que sabemos!

As pessoas sempre perguntam como que o…

Ver o post original 511 mais palavras

O sentido da vida

Cláudia – parte quatro

Para Cláudia

No dia 9 de maio de 2008, eu e outras amigas recebemos essa mensagem da Cláudia… Muitas coisas, para nós, não fazem sentido, sobre tudo o que aconteceu com ela, mas para ela faz todo sentido…

“Encaminho para compartilhar com vocês as palavras de M. Medeiros… embora discorde quanto a falta de sentido da vida.

Acrescento, então, ao texto minha opinião: Acredito que a vida tem sentido sim, embora talvez não tenha o sentido que queremos ou que entendemos no momento.

Abraços da amiga, Cláudia

Aproveito para desejar um Feliz Dia das Mães para todas, sejam mães de humanos , caninos, felinos e outros mamíferos. Também mães de aves, peixes e répteis.

Beijo”

Os quatro fantasmas – Martha Medeiros

Leiga, totalmente leiga em psicanálise, é o que sou. Mas interessada como se dela dependesse minha sobrevivência. Para saciar essa minha curiosidade, costumo ler alguns livros sobre o assunto, e outro…

Ver o post original 483 mais palavras

Maternidade e a família

Dando continuidade aos textos sobre a Claudia…

Para Cláudia

A maternidade nos transforma, não foi diferente com a Cláudia. Ela se tornou uma mãe extremada, companheira e, junto com o Seu Arlindo e a Dona Zilá, amaram e cuidaram do filho e neto.

Sempre quis dar tudo o de melhor para o filho, em estudo, educação, oportunidades de vivências.

O filho acompanhava o avô em tudo, aprendeu com ele a fazer qualquer tipo de reparo, e a cuidar das árvores e do pátio. O avô se foi cedo, depois de uma pneumonia dupla.

A Cláudia era fã do pai, transmitiu esse sentimento ao filho. Ambos sentiram demais essa partida. O cuidador se foi, deixando em prantos a sua eterna namorada, D. Zilá.

Para mãe e filha restou a força de seguir em frente.

Eu tenho um objetivo aqui, defender o que eu acredito que a Cláudia gostaria.

Ver o post original

O amor de uma mãe é incondicional?!

Dando continuidade aos textos sobre a Cláudia…

Para Cláudia

Muitas mães amam seus filhos incondicionalmente. Com a Cláudia era assim…

Muita dedicação muita atenção e muita preocupação, não gostava que interferissem na sua maneira de ser maternal.

Seu filho vinha antes de tudo…

A sua preocupação com ele dobrou com a morte de seu pai e avô de seu filho. A falta do companheiro do filho preocupava a mãe.

Essa morte mudaria também a vida da Cláudia. Ela resolveu se cuidar, para que pudesse continuar a cuidar do filho, que entrava na adolescência.

Ver o post original

Quando nos tornamos mãe?!

Dia 9 de Abril é a data do desaparecimento da Cláudia. Já são quatro anos, eu vou colocar aqui alguns textos, sobre o caso, sobre meus sentimentos e o que eu espero do futuro.

Para Cláudia

No decorrer desses dias, escreverei sobre o que me levou a tomar uma posição, que publicarei no dia 9.

Não haverá nenhum julgamento de minha parte, não apontarei meu dedo para ninguém, simplesmente vou externalisar os meus porquês.

Então meus amigos, eu espero que leiam, mas também não façam julgamentos. A Cláudia que conheci e era minha querida amiga, não gostaria que houvesse …

Se sentir mãe é diferente para cada mulher, pode ser no início da gravidez . Para mim foi quando eu soube que estava grávida…

O vínculo entre a mãe e seus filhos é único, cada filho percebe este elo de uma determinada maneira.

A Cláudia, que não dava muitas demonstrações afetivas, tinha um amor visceral pelo seu filho.

Como muitas mães, era um amor incondicional…

Sempre foi assim…

Ver o post original

O que você faria?!

O que você faria se recebesse essa notícia: seu corpo pode falhar a qualquer momento, não tem prazo, nem data, pode ser amanhã ou daqui a de 20 anos. Mas pode ser amanhã…

Correria para realizar um grande sonho, se reuniria mais com a família, continuaria vivendo a mesma vida ou mudaria radicalmente a atual?!

Confesso que eu não sei o que eu faria, na iminência de partir…

Após o acidente da Chapecoense, o jornalista sobrevivente, Rafael Henzel, escreveu o livro Viva Como Se Estivesse de Partida. Foi o que ele fez, até a sua morte prematura na semana passada, aos 45 anos. “Jamais havia tido noção do que é o tempo... Hoje eu uso meu tempo com as coisas que me dão prazer.

Desde que nascemos, temos data, prazo de “validade”, só não sabemos quando esse prazo se finda.

Então, porque não decidimos fazer com que a nossa vida seja produtiva sabendo disso?!Não falo em ganhar dinheiro, fazer fortuna (se isso lhe satisfaz, vá em frente). Falo das nossas relações de amor ao outro, da amizade, da família. Falo em amor e em amar e ser a melhor pessoa que se puder ser.

Uma coisa que as últimas eleições me mostraram, é que, podemos ser as piores pessoas que temos dentro de nós mesmos. Eu não entendo isso, eu não consigo entender a opção pelo ódio. É subumanidade.

O ser humano está longe de ser construtivo. Nas nossas relações disputamos espaços, não respeitamos as diferenças, sujamos o mundo, não sabemos viver em sociedade e queremos ter ganhos em cima do sofrimento e da necessidade alheia.

Temos ensinado mais a odiar do que a amar. Porque armamos ao invés de amarmos?!

Deixo duas perguntas para vocês. O que você faria se soubesse que o seu tempo está se encerrando?! Qual a herança que você vai deixar aqui na terra?!

Bolo de chocolate de 8 minutos

Bom, fácil de fazer, mais ainda de comer!

pós 50

É a maior satisfação passar para vocês a receita que fazíamos eu e meus filhos, pensei que compartilhar essa receita seria muito legal.

Porque é sábado vou passar essa fácil, fácil para quem tem microondas.

• 3 xícaras de farinha

• 2 xícaras de açúcar

• 1 xícara de chocolate

• 1 colher de chá de fermento em pó

• 1 pitada de sal

• 1 pitada de noz moscada

• 3 ovos inteiros

• 1/2 xícara de óleo

• 1 xícara de água fervente

• Manteiga para untar

• Farinha para polvilhar

• forma com furo própria para microondas

Misture numa bacia todos os ingredientes secos. Acrescente os ovos e o óleo misturando bem,  por último a água fervente. Despeje na forma untada e polvilhada de farinha.  Leve ao microondas por 8 a 10 min (depende da marca) em potência alta. Espere esfriar para desenformar.

Se quiser coloque cobertura…

Ver o post original 91 mais palavras

Conto de uma paixão em devaneios

pós 50

black-and-white-2600656_1920

Quando cruzamos nossos olhares, tu ainda ajoelhado, acabaras de escrever o poema, eu finalizando as máscaras com as quais iríamos encenar, já sabíamos, que, de alguma forma, havíamos estabelecido um encontro. Senti assim. Foi de fato a primeira vez que nos vimos, apesar dos três dias já passados na oficina.

Nos contemplamos assim o dia todo, os olhos rapidamente se fitavam, surgia um sorriso breve e voltávamos às atividades.

O dia durou 48 horas, como demorou, a confraternização nunca chegava, ali estaríamos livres.

A noite, trocando conversa com colegas, senti tua mão nas minhas costas até encontrar a minha, ficamos assim de mãos dadas, sem que ninguém percebesse. Criastes uma forma de discrição nova, a tua mão direita pegava a minha esquerda pelo dorso.

Numa troca rápida de palavras, a sós no meio de todos, te falei do meu nervosismo, a resposta que ouvi foi sensível, homens também são assim…

Ver o post original 1.134 mais palavras

Vai um cafezinho aí?!

Tomei um agora fresquinho, café é tudo de bom!

pós 50

café

Gente eu amo café, mas o meu amar vai um pouco além de gostar de tomar rsrsrsrs. Resolvi ler sobre café, fiz um curso de barista, por fim abri uma cafeteria, faz tempo.

Não tenho mais a cafeteria, passei adiante, descobri que gosto mesmo é de servir um bom café, vender não é a minha praia.

Hoje resumo essa paixão da seguinte forma: tenho uma boa cafeteira em casa, compro um bom café em grão, que moo em casa e coo o café na hora de tomar. O curso de barista fez isso comigo, me fez gostar da qualidade…

Ao contrário do que é dito, um bom café pode fazer bem à saúde. Um café feito e tomado na hora está livre de boa parte da cafeína, um espresso (com S mesmo,café feito na hora, como significa na Itália) é melhor ainda, cheio de óleos essenciais, muito benéficos.

Nasci…

Ver o post original 185 mais palavras

Fusão (AF)

pós 50

home-461279_1920.jpg

Nossos olhares se cruzaram
Perdidamente… me senti
Choque elétrico – intenso!
Vasto – avassalador.

Nossas mãos se encontraram
Boroletas voaram dentro de mim
Frenética – inquietantemente.

Reciprocidade de intensões
Pretensões mundanas,
Profanas!

E, nossos corpos se uniram
Num único abraço
Fundindo, unindo
Fusão completa e absoluta
Desfrute!

A lua apareceu na janela…
Suspirei…

poesia de Adriana Fetter

Ver o post original

Política – a minha ótica

Democracia sempre, #DitaduraNuncaMais !

pós 50

Sempre fui servidora pública, por gostar das políticas sociais e de desenvolvimento, tenho 55 anos e há 45 acompanho a política brasileira.

Sim, comecei mais ou menos com 10 anos a ter noções sobre o que era a vida partidária. Era comum em casa se discutir política. Numa família em que de um lado havia os conservadores e de outro os questionadores, ambos disputavam as urnas.

Minha formação e consciência política começava assim. Além dos livros que meu tio Paulo seguidamente me emprestava.

Sou absurdamente defensora da democracia, vivi o regime de repressão e a redemocratização de nosso Brasil.

Tenho uma percepção que até hoje o que nos falta é memória, pois políticos da minha infância continuam no cenário nacional, mesmo acusados, alguns julgados e condenados, sendo votados eleição após eleição.

O que deve mudar?! Com certeza o nosso voto, nós a chamada população brasileira! Se eles não mudam, podemos…

Ver o post original 172 mais palavras

Hemerocallis – o lírio de um dia

Hoje eu assisti o filme A Mula com Clinton Eastwood, baseado em fatos reais. Recomendo!

Um aspecto especial tomou a minha atenção, o início do filme, que apresenta o principal personagem, Earl, como cultivador das Hemerocallis, a flor da foto.

Na minha família havia duas pessoas apaixonadas por plantas, minha avó e o seu genro, meu pai.

Esse amor atravessou a geração e me tocou. Flores sempre me encantaram. As do meu pai, mais ainda. Era apaixonado por elas e me transmitiu esse sentimento. Os jardins desenhados por ele eram lindos.

Na casa da cidade, na minha infância, tínhamos flores multicoloridas. Eu passava horas e horas naquele jardim, olhando as hortênsias brancas, azuis e rosas as papoulas vermelhas, as bocas de leão multicoloridas. Os muros eram recobertos por hera, e troncos de rosas trepadeiras, onde orquídeas chuva de ouro repousavam.

Os jardins da casa da praia eram os meus preferidos, as flores eram mais rasteiras, mais ao meu alcance. Meu pai dedicava boa parte do tempo àquele jardim.

Ali tínhamos muitas rosas, muitas mesmo, de todas as cores e multicoloridas, copos de leite, Pallas, Strelitzia reginae, Margaridas, Amor Perfeito, Amarílis, lírio japonês, cravo, dálias, onze horas, zinias, pessegueiro de jardim, gladilos, astromelias, Iris e Narcisos.

O lírio de um dia, os do filme, me fizeram viajar para minha infância. Eles rodeavam os muros baixos do enorme terreno da casa, eu tinha fascínio por eles, ficava horas passando a mão nas plantas, abrindo o invólucro das sementes, de bolinhas pretas, enquanto percorria a linha do muro. Cada flor, originária de um bulbo, durava apenas um dia.

Uma imagem, uma flor e uma infância inteira para recordar.

Cidadão e gente do bem

Alguém pode me dizer ou explicar o que significa essa expressão, cidadão e gente do bem?!

Por que varias das pessoas, que são defensores da moral e dos bons costumes, atualmente, pregam o armamento e o ódio nas redes sociais e se intitulam cidadão ou gente de bem.

As gentes do bem já me fizeram sofrer muito, na época do desaparecimento da minha melhor amiga, Cláudia Hartleben.

As pessoas que assim se intitulavam, os cidadãos de bem, questionavam se o que dizíamos, família e amigos, era verdade. Suspeitavam de tudo e de todos, mesmo sem conhecer ninguém do círculo da Cláudia.

Também questionaram a reputação da minha amiga, colocavam em dúvida se ela estava desaparecida, falavam coisas tão estapafúrdias e deprimentes que eu agradecia, todos os dias, porque a mãe da Cláudia não participava das redes sociais.

Gente do bem, sempre falavam isso no Facebook, em momentos de pura verborragia de ódio, propagavam suas teorias mirabolantes e não poupavam ninguém, eram uma metralhadora giratória.

Atrapalharam o processo de investigação, aprofundaram a nossa dor e nos fizeram afundar num desatino, tentávamos procurar a Cláudia e ao mesmo tempo defender a ela, a família e os amigos das inventividade dessa gente do bem. O fundo do poço tinha o porão da gente do bem.

Mas, naquela época, também, conheci pessoas que nos acalentaram, ofereceram suas orações e foram um afago na alma. Lembro de uma frase que uma delas usava, dizia que pedia a Deus, que nos carregasse na palma da sua mão, era um conforto em meio ao caos.

Então, agora, quando vejo as pessoas que trazem à baila a corrente do gente do bem, feita por cidadãos de bem para o bem da gente do bem, só penso em correr e procurar pessoas normais.

Carta D. Zila, por ocasião do arquivamento do processo da sua filha Cláudia

Para Cláudia

Cláudia minha filha, 4 anos!

A justiça da terra não conseguiu, apesar de todos os esforços, provas suficientes para encontrar a materialidade do crime praticado contra ti.

Vamos encerrar esse ciclo filha e vamos direcionar nossas forças para justiça divina, esta não tem incertezas, não falha.

Luta filha, aí onde te encontras agora e faz o mesmo que fizestes aqui na terra.

Trabalha estuda e ama. Vence aí também, com a mesma garra, todos os obstáculos, chegando onde chegastes aqui, conquistando os melhores lugares.

Deixa aí também o teu legado! Nós estaremos contigo nesta nova luta.

Deus há de nos dar forças para te ajudar, com as nossas preces. Vais conseguir filha! Aqui sempre fostes vencedora, aí não será diferente!

Que os teus amores te ajudem aí!

Que jesus te abençoe e te guarde e que Maria Santíssima te cubra com o seu sagrado manto.

Paz e luz filha, te…

Ver o post original 18 mais palavras

A segunda morte da Cláudia

Para Cláudia

A Cláudia tinha a real dimensão de que um dia poderia desaparecer, ela sempre avisou isso, também dizia que jamais seria encontrada.

Era como se fizesse uma previsão, mas nos últimos anos ela estava tão bem, que essa previsão ficou distante, parecia que não aconteceria mais.

Mas como alguém já disse, ninguém foge o seu destino. A profecia se realizou, no dia 9 de abril de 2015.

A princípio queríamos acreditar que ela estava viva, foi o que mais desejamos, a volta dela.

Bem, ela não voltou, há anos nos perguntamos, o que aconteceu, o que fizeram com ela, onde ela está?! Sem respostas…

Hoje, sem saber ainda do rumo do seu processo e da investigação, fui reler todas as anotações desses quase quatro anos, antigas mensagens, publicações e comentários nas redes sociais, sobre o caso da Cláudia. Só posso lamentar tudo o que li. As pessoas são muito cruéis…

Ver o post original 95 mais palavras

O outono

Seja bem-vindo outono!

pós 50

Léo Buscaglia, é quem o outono me faz lembrar. Um professor universitário e escritor, de origem italiana, que morava nos Estados Unidos e que amava esta estação, pelo estralar das folhas enquanto ele caminhava.

No local da sua moradia, os jardins eram perfeitamente cuidados e as folhas eram varridas por seus vizinhos. Como ele gostava do estralar das folhas, nem sempre ele as varria, o que incomodava muito quem morava ao lado.

Constantemente ele recebia reclamações, ficava chateado porque ele também não queria desiludir a vizinhança, como também não queria perder aquele barulhinho gostoso.

Um dia, finalmente, ele achou uma maneira de contentar a si mesmo e ao seus vizinhos. Varreu todo o seu jardim cuidadosamente, colocou todas as folhas em um grande saco e o fechou.

Fez o que lhe agradava espalhou todas as folhas pela sua sala. E assim, todos os dias ao caminhar, as folhas estralavam sob…

Ver o post original 31 mais palavras

O Brasil que eu tenho saudade

Lembro de todos os sábados que nos reunimos na frente da TV, para torcer por uma pole position. Éramos um único coração uníssono, éramos um Brasil vitorioso, que no domingo comemorava as corridas do nosso ídolo, Ayrton Senna.

Todo esse ódio, que hoje é disseminado verborragicamente na redes sociais, era inimaginável.

Tínhamos aquele sentimento gostoso que poderíamos ser um país vitorioso. E como era bom ter esse sentimento de pertencimento, de orgulho nacional.

Quando a nossa bandeira era sacudida num pódium e o nosso hino, ouvido por todos nós, nos enchia de satisfação. Ninguém, ainda, havia se apropriado desses símbolos, eles eram nossos, de toda a nação brasileira.

O abuso da política ainda não nos tinha tirado a esperança, éramos todos brasileiros.

Assim como você, eu sou brasileira, com o orgulho ferido, por defender políticas públicas para um país mais humano e mais justo, por isso me dizem que não sou digna da minha bandeira.

A bandeira brasileira é a mesma para mim, nenhum sentimento meu mudou em relação à ela e ao meu país.

Não há ninguém que possa se intitular um cidadão melhor por estar vestindo as cores do Brasil, porque elas estão no coração de cada brasileiro.

Vestir as cores verde e amarelo, enquanto vocifera palavras de ódio, só me diz que você não é uma pessoa digna dos sentimentos de hombridade, que deveriam te enaltecer.

Essa bandeira é minha, é sua e é nossa!

E como ela me lembra dos tempos em que éramos um único Brasil, aquele tempo que torcíamos pelo Ayrton.

Quando o luto vira luta – #Marielle, todas as mulheres

#QuemMandouMatarMarielle ?

pós 50

Eu não conhecia a Marielle, a Romilda ou a Sandrinha, mas eu conhecia a Cláudia.

A brutal execução dessa vereadora e de seu motorista, o Anderson, mexeu profundamente comigo. Me fez reviver um dos piores acontecimentos da minha vida, o desaparecimento da minha amiga e irmã Cláudia Hartleben, sem que se tenha qualquer resposta da investigação.

Há muito tempo eu penso que as mulheres podem fazer a diferença, somos a maioria que educa no Brasil, somos quem pode mudar o nosso país.

Desde cedo eu estou muito indignada e triste, posso dizer que a situação da violência contra as mulheres tem me incomodado profundamente há anos.

Hoje eu estou chorando pelas mulheres assassinadas no Brasil, pelas execuções, feminicídios, por toda a violência contra os nossos semelhantes.

Até quando?! Quem se acha no direito de cometer atrocidades sem punição?!

Espero que a Marielle Franco, que lutava pelos seus semelhantes, tenha a…

Ver o post original 9 mais palavras