Vai dar tudo certo

pós 50

Entardecer florianópolis SC

Não importa o que você esteja passando, a tempestade que se abateu sobre você, eu tenho uma coisa pra te dizer, vai dar tudo certo!

Como eu sei? Como posso estar fazendo essa afirmação? Porque passei por maus momentos, situações bem difíceis, tive depressão, aquele buraco negro que se instala no nosso peito e parece querer nos engolir.

Dias duros, que estão no passado. Na confusão que se instalava eu só conseguia pensar, o sol vai nascer amanhã novamente e isso terá passado, e me segurava nessa idéia arduamente. Pois bem, passaram!

Eu entendo perfeitamente a dificuldade de transpor esses momentos. A angustia é tamanha que nos vimos sendo tragados. Mas passa, acredite, procure ajuda, é indispensável ter apoio.

O suporte de outras pessoas, principalmente o profissional de psicólogos ou terapeutas, nos levam a enxergar caminhos que não vemos na escuridão que se instala em nós. Então grite e peça…

Ver o post original 31 mais palavras

Querido diário – o mito, a demência e as trevas

Eu tenho uma página no Facebook, onde eu não coloco absolutamente nada de política, porque eu ainda respeito as pessoas que votaram nessa criatura, que temos com o presidente, porque eu sempre respeitei a democracia.

Também porque acho que, momentos de otimismo e de alívio mental, são benéficos, bem-vindos é necessários, na atual conjuntura.

Vez ou outra algum leitor percebe que sou de esquerda e vem criticar a minha posição, apesar do meu respeito aos meus curtidores sobre política. Deixo passar.

A minha opção política é inclusiva. Não consigo viver sem olhar para os lados. O meu projeto de vida sempre foi para mim e para os outros, não entendo o dinheiro pelo dinheiro.

Mas quando se vê a democracia ser atacada, por um demente, que foi colocado como uma criatura útil, para que as elites do atraso, no Brasil, pudessem fazer as reformas econômica, ao seu bel prazer, desconstruindo anos de conquistas de políticas sociais, me dá um desespero.

É uma afronta ao estado democrático de direito, todos os dias.

Nunca vi tanta gente desabrigada na rua, como neste inverno. A violência expondo seus percentuais crescentes.

Está doendo viver neste Brasil desumano, hipócrita, devastador, desrespeitoso, indigno e injusto.

Querido diário não tenho e nunca tive político de estimação, mas aqueles que colocavam o dedo na nossa cara e que ainda colocam, eles tem!

Defendem um absurdo atrás de outro absurdo, que essa criatura, que se diz presidente, faz e ainda gritam, mito!

Nepotismo normal, agressão normal, falta de educação normal, demência normal, preguiça normal! Normalizaram inimagináveis atitudes, a falta de ética e a falta de humanidade.

Quero crer querido diário, que essa fase de trevas no Brasil irá passar, mas não sei e tenho medo do que irá restar.

A fotografia do quadro não está das melhores, a fiz no Museu de Arte Contemporânea – MAC, em São Paulo, porque ali enxerguei o Brasil atual, o nome: A bestialidade avança.

Carvão

pós 50

Enquanto eu escrevo geralmente ouço notícias.

Vendo um programa de migrantes o meu coração ficou apertado, estou mostrava a luta dos refugiados.

Quanta tristeza passam os que são forçados a abandonar o seu lar.

Uma cena me chocou, na fronteira com a Croácia, pessoas com frio, no meio da lama, com inúmeras crianças.

O ar gélido castigava mais ainda, como se isso fosse possível. Capas e barracas de plástico frágeis eram as únicas proteções.

Uma barreira de policiais da fronteira impedia a passagem dos migrantes.

Naquela noite duas crianças morreram de frio, enquanto as outras assistiam todo o sofrimento.

Assistindo minhas lágrimas escorriam. Não havia comida suficiente.

Os contrabandistas de pessoas lucram com essas vidas, fragilizados eles fogem da guerra e da fome, querem se salvar e às suas famílias, estão desesperados.

Eu não tenho respostas, eu não sei qual é a solução para isso, mas pessoas não podem ser…

Ver o post original 26 mais palavras

Macarrão na panela de pressão – minha dica

Final de semana de preguiça merece um prato prático e ligeiro para se fazer e de comer!

pós 50

Vamos para mais uma receita rápida, daquelas ótimas para qualquer ocasião, principalmente no carnaval.

Pode ser feita com qualquer tipo de proteína, vale o que tiver, sobras de churrasco, frango assado, carne moída, salsicha, depois só o trabalho de comer, amo esse tipo de receita.

  • 500g de macarrão curto (pene, parafuso, gravatinha)
  • 300g de carne
  • 1/2 cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 3 colheres de azeite
  • 1 pacote ou lata  molho de tomate (se quiser mais vermelhinho, 2 pacotes)
  • 1 litro de água fervente
  • Sal e pimenta a gosto
  • 1 caixa de creme de leite
  • 1 pacote de queijo ralado
Modo de preparo:
Em uma panela de pressão refogue a cebola e o alho no azeite, acrescente a carne, depois o molho de tomate e a água fervente,  coloque o macarrão, mexa bem, tampe a panela e leve ao fogo médio. Depois que pegar pressão, conte 3 a 4 minutos (eu…

Ver o post original 45 mais palavras

Médico, quando foi a última vez que você se sentiu acolhid@?!

A minha pergunta título é pertinente.

Hoje novamente me senti falando com uma parede, onde minhas palavras batiam e as letrinhas despencavam, enquanto eu ouvia a minha voz e era solenemente ignorada.

Meu marido me disse que gosto de profissionais médicos mais velhos. Talvez sim, seja pelo diferente acolhimento que eles nos dão e os ouvidos que tem para nos escutar. O tratamento é diferente, menos técnico, mais humano.

Há alguns anos a minha filha, ao dar aula para o curso de medicina, me manifestava a sua enorme preocupação com o tipo de aluno que estava entrando para o curso. Me dizia que eram extremamente inteligentes, resultado de provas dificílimas de ingressos. Sabiam tecnicamente tudo, não expressavam nenhuma emoção e empatia, com raras exceções.

Me pergunto onde ficou o acolhimento médico, porque eles acham que a nossa história não importa, sabemos mais de nós do que eles. Deveriam ao menos escutar nos dar atenção.

É a segunda vez que tem uma experiência muito ruim.

A primeira foi hospitalizada, com uma infecção nos ossos da cabeça e uma paralisia facial, que requeriam alta dosagem de corticoide e varios tipos de antibiótico, para recuperar o nervo facial.

Fui internada por um otorrino, excelente, acolhedor e que em cinco minutos, ao ouvir o que eu estava sentindo e examinar o meu ouvido, fez o seu diagnóstico, que foi completamente confirmado pelos exames.

Ao baixar o hospital, fiquei internada na cardiologia, cujo chefe nunca entrou no meu quarto, apesar de ter que fazê-lo diariamente.

Todos os dias, sem me conhecer, sem respeitar o meu médico, sendo o responsável pela ala, ele suspendia o meu tratamento. Eu só percebia quando, no horário do antibiótico e do corticoide, não chegava a medicação.

Todos os dias eu chamava a enfermagem, reclamava, entrava em contato com o médico otorrino, que imediatamente reiniciava o meu tratamento. Desde o início ele havia me explicado os riscos desse o tratamento e eu o havia aceitado.

A minha internação deveria durar quatro dias acabou durando 10.

Já se passavam cinco dias lá dentro, quando o cardiologista resolveu entrar no meu quarto, para discutir comigo o meu tratamento, dizendo que não atenderia o meu otorrino, porque iria tratar o meu rim.

Eu não tinha nenhum problema renal, o que era confirmado pelos exames de sangue diários, para o controle da minha alteração corporal, em virtude da forte medicação.

Eu realmente não sei até hoje o que se passou na cabeça daquele médico, sei apenas que exigi dele a retomada da minha medicação e ele se negou a fazer. Não tive alternativa, chamei a a Ouvidoria do hospital, que, depois de me ouvir, afastou o cardiologista. Pude então dar prosseguimento ao meu tratamento.

Hoje novamente me vi numa situação de ignorância médica. Não na mesma gravidade, mas me fez lembrar desse passado recente.

O meu endocrinologista assumiu um cargo no hospital, que o impede de estar no consultório diariamente, com exceção dos sábados, com isso ele perguntou aos pacientes, quais poderiam ser remanejados para o seu colega e eu aceitei, por entender a situação dele.

Primeira pergunta do médico, o que você veio fazer aqui hoje? Resposta: o meu acompanhamento semestral. Pergunta: quem era o seu médico? Resposta: o seu colega, o Dr. Júlio. Pergunta: porque trocou o médico? Expliquei a situação do Dr. Júlio. Resposta do médico: não se pode ficar trocando de médicos, minha réplica, o senhor deveria falar isso com a clínica. Extremamente desagradável a primeira impressão.

Anamnese: quais sucos a senhora toma? Resposta: não tomo suco, prefiro a fruta. Quais bebidas, refrigerantes consome? Resposta, não tomo refrigerante, tomo água , água mineral com gás e chá branco. A senhora usa açúcar? Não, uso adoçantes. Quais sucos de caixinha a senhora toma? Como eu falei, eu não tomo suco, nem refrigerante. E a senhora adoça como a suas bebidas? Eu não uso açúcar, eu uso adoçante. Que adoçante? Sucralose. Mas café eu tomo sem açúcar. Então, não usa açúcar, humm (cri… cri… cri… Barulho do meu cérebro, evitando olhar para a jugular do médico e não pular nela…)

Eu estou bem acima do meu peso, principalmente depois do tratamento com corticoide, porém eu tento fazer uma dieta equilibrada, minha comida diária é feita e entregue por uma nutricionista.

Apesar das minhas informações ele me olhava incrédulo, insistiu no assunto açúcar e apenas dizia que eu tinha que emagrecer, porque iria virar diabética.

Eu esclareci que as minhas taxas vinham caindo, há mais de ano e que o meu Homa baixava a cada novo exame (sim, eu entreguei os exames).

Resposta: isso não quer dizer nada, vou fazer todos os exames novamente, porque a senhora vai ficar diabética.

Mais do que ninguém eu conheço os riscos de diabetes, pois ela está presente na minha família há décadas e, por isso mesmo, não usamos açúcar em casa, porque o meu marido é diabético e eu trato da dieta dele.

Como doce em viagens, quando ele não está comigo, portanto raramente.

Não escondo nenhuma informação dos meus médicos e sou uma pessoa disciplinada.

Tentar dizer cinco vezes para este médico que eu, no dia-a-dia, não consumo açúcar e, me fazer entender, foi muito difícil, tenho certeza que não consegui convencê-lo, sequer sei se ele me ouviu. Parecia distante, com suas crenças inabaláveis.

Para ele eu era uma gorda, provavelmente mentirosa, que come açúcar escondido e não emagrecia por isso. Nem nos exames que eu levei, com taxas normais, ele acreditou.

Sinceramente, eu preferiria ser atendida por um médico de família, cubano, generalista, que me ouvisse, me entendesse e me tratasse como um todo e não por partes.

Triste pagar caro por um plano de saúde e não se sentir sequer ouvida, muito menos acolhida.

Pergunta que não quer calar, qual o momento que a gente pode mandar esse tipo de médico se fu…?!

Me desculpem os bons médicos, tenho alguns excepcionais em minha vida, foram apenas dois episódios irritantes isolados.

Vó Olga

Parabéns a todas as avós desta página❣

pós 50

A maior parte das minhas receitas vêm dela, sem ela não haveria nenhuma, sem a influência da vó Olga na minha vida. Com ela aprendi a cozinhar e apreciar a boa comida.

Era só ficar ao seu lado e olhar essa mulher que acordava as 5h para acender o fogão a lenha, bater manteiga, fazer o pão, os bolos, os doces, as geléias, matar a galinha, assar o frango, produzir a linguiça e os embutidos, os doces em calda e em pasta, os sucos, podar as parreiras e as árvores, para ter maior produção no ano seguinte.

Era tanta coisa que ela fazia durante o dia e a melhor coisa era seguí-la de uma atividade para a outra, observando essa mulher tão calada quanto dinâmica.

Na sua mesa nunca faltava comida, nunca, nem nos intervalos entre as refeiçoes, tinha sempre lá café, leite, pão, manteiga e geléia, para quem quisesse…

Ver o post original 70 mais palavras

Fondue de queijo

Que delícia de receita para os dias frios…

  • 500g queijo prato,
  • 200g queijo emmental ou gruyére;
  • 500g creme de leite fresco;
  • meia taça vinho branco;
  • cebola e alho (à gosto);
  • noz moscada (à gosto).

Refogar a cebola e o alho (ralados, para desaparecerem no creme), adicionar o vinho, deixar ferver, adicionar o creme de leite, deixar aquecer bem, derreter os queijos no creme, mexendo sempre,se quiser, adicionar noz moscada. (receita by Mateus Fernandes – meu filho)

Servir com pão, torradinhas, com o que der vontade de comer!

Pudim da Silvia 

Delícia fácil de fazer e de comer!

pós 50

O propósito era escrever receitas fáceis e rápidas, afinal de contas ninguém precisa passar todo o final de semana na cozinha.

Encontrei essa no Facebook da minha amiga Silvia Ribeiro, pedi e ela me deu permissão para publicar no meu blog de receitas, o cozinhando. Ahhh Silvia vou compartilhar aqui também, é tão bom que merece ser conhecido por muito mais pessoas.

Quer uma receita mais tranquila do que essa?! Nem necessita ir ao fogo. É perfeita!

Ingredientes:

• 1 Creme de leite,

• 1 leite condensado,

• 1 leite de coco

• 1 caixa de maria mole de coco

• 1/2 xícara de água quente

• 1 xícara de açúcar

Desmancha a maria mole em menos de meia xícara de água fervente, põe todos os ingredientes no liquidificador, bate bem, queima açúcar na formade furo, coloca na geladeira, em 1 hora está pronto!

Silvia da próxima vez que…

Ver o post original 15 mais palavras

Querido diário – reforma da previdência

Querido diário a Câmara dos deputados acabou de votar a indecentes reforma da previdência, em primeiro turno, foi aprovada por 379 votos favoráveis contra 131 votos desfavoráveis. Terá mais uma votação, para depois seguir para o Senado.

O que isso significa para o povo?! Vou colocar aqui embaixo alguns tópicos do que foi aprovado:

  • 1) reduz o valor da aposentadoria de todos os trabalhadores que estao no regime geral, que passa a ser calculada a partir da media das contribuições;
  • 2) reduz o valor das pensões, a viúva/viúvo passa a receber apenas 50% do valor, mais 10% por dependente, se este nao tiver qualquer outra renda;
  • 3) permite que o valor da aposentadoria seja menor do que 1 salário minimo;
  • 4) impede que uma viuva ao se aposentar continue recebendo a pensao mais a sua aposentadoria;
  • 5) estabelece que só pode receber BPC a familia que tiver menos que 1/4 de salario minimo per capta;
  • 6) aumenta o tempo de trabalho e contribuicao para professores.

Fácil mexer nos direitos dos outros, quando se tem tantos privilégios garantidos.

Deixo aqui a minha sugestão para todos aqueles que tem aposentadoria garantida no Congresso Nacional, senhores deputados e senadores abram mão do seus vencimentos de aposentadoria, deem o exemplo, antes de tirarem o direito de aposentadoria do trabalhador brasileiro.

Senhor presidente comece pela sua aposentadoria!

Essa reforma que está aí só interessa ao capital!

Vocês venderam o nosso voto!

Eterna criança

Nas épocas difíceis é necessário alimentar a nossa criança interior, manter a fé que a inocência será resgatada e os ódios amainados…

pós 50

mafalda

Eu tenho a maior empatia com a minha criança interior. Curto essa minha menina com o maior carinho. Gente, verdade, brinco pra caramba, a vida fica muito mais leve.

Não confunda brincadeira com inconsequência, sou muito responsável, parece antagônico, mas não é, a vida pode ser muito melhor com humor e alegria.

Não ía perder nunca a oportunidade de tirar uma foto com a Mafalda, sou a maior fã!

Como também nunca perdi a oportunidade de uma boa risada, de uma diversão com as crianças, de viajar nas minhas brincadeiras.

Falo sério, não perca a oportunidade de rir, nem que seja de você mesmo!

“Em minha casa reuni brinquedos pequenos e grandessem os quais não poderia viver. O menino que não brinca não é meninomas o homem que não brinca perdeu para sempre o menino que vivia nele e que lhe fará muita falta

Ver o post original 3 mais palavras

Desapegar…

pós 50

xícaras

Eu perdi muitas coisas materiais no decorrer da minha vida, algumas delas muito amadas, mas com o passar dos anos descobri que guardar lembranças vale bem mais do que guardar bens materiais que você não consegue cuidar, no meu caso, em outra cidade distante.

Não estou dizendo para você sair por aí vendendo tudo o que você possui, apenas que nem sempre conseguimos zelar por nossos pertences. Estou falando para você desapegar, desprender, porque as boas recordações são dos momentos vividos, da alegria e felicidade compartilhada com outras pessoas, isso é o importante.

Muitas famílias se acabam por heranças, as vezes sem nem haver morte ainda. Acho isso muito triste, fiz uma opção de vida, prefiro as pessoas, sempre!

Nenhuma coisa, patrimônio, dinheiro, sequer se compara a um abraço de quem você ama, nada se iguala.

Então, se algum dia houver alguma dúvida, se um conflito for se instalar por…

Ver o post original 55 mais palavras

Recomeço

pós 50


Desde a infância eu dizia que seria médica, de crianças, ainda tenho em mim uma incrível médica bruxa charlatã, que cuida da família e dos amigos, com muita intuição.

Assisto a programas medicinais, partos, coisas afins. Por que estou falando tudo isso?! Segui carreira na área de políticas públicas, depois de fazer faculdade de estudos sociais e história, vim para Brasília fazer mestrado em Ciência Política, ao acabar os créditos entrei para a Presidência, de onde só saí no mês passado.

Estou falando tudo isso porque nunca tive vocação definida, tudo o que fiz fiz bem feito, mas não que fosse aquilo que defini fazer para o resto da minha vida. No meio de tudo fiz curso de gastronomia e segurança alimentar, abri um café, cozinhei para caramba. Também fiz inúmeros roteiros de viagem, me dedico a tudo o que faço, com carinho. Vejo inúmeros programas políticos e de notícias…

Ver o post original 175 mais palavras

Pavê zás trás

Essa receita junta as principais características de uma boa cozinha: o doce, o ácido, o crocante e o levemente salgado. Não tem erro, é puro sabor!

pós 50

Estou de dieta restrita de açúcar e só penso em escrever receitas de doces.

Mas, na verdade, são receitas super rápidas e fáceis.

Então, meus queridos, vocês poderão arrasar nesse final ou início de semana com essa receitinha super rápida e gostosa, a família e os amigos agradecem!

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • Suco de 3 limões  (pode ser taiti ou siciliano, este deixa o pavê mais suave)
  • 14 bolachas maria (pode ser substituída por biscoito de leite, maisena ou champanhe)
  • 1 pacote de suspiro (merenguinho)
  • Raspas de um limão
  • 1 liquidificador
  • 1 prato refratário

Bata no liquidificador o leite condensado e o creme de leite, acrescente o suco de limão. No prato refratário cubra o fundo com parte desse creme, cubra com a metade do biscoito e esfarele metade do merenguinho por cima. Repita a operação e jogue por cima as raspas de…

Ver o post original 37 mais palavras

Descomplique

Descomplicar é fundamental para viver de bem com a vida….

pós 50

Santa Catarina - (praia do Campeche - Florianópolis) (praia do Campeche – Florianópolis) 

Meia idade dá para perceber que a vida deve ser mais leve, os aborrecimentos do dia já tendem a nos tirar do prumo, então descomplique!

O papel higiênico está colocado ao contrário, sério tem lado para colocar papel higiênico?! Quem disse?! rsrsrsrs… Espremeram a pasta de dentes no meio, deixa disso, é isso que vai te fazer perder a paciência?! Te cortaram no trânsito, isso não é legal, mas perder a calma pode causar um acidente em seguida, portanto atenção! Qual a importância disso na sua vida, no seu futuro?! Importante é a sua saúde e a dos teus filhos, família e amigos, entendeu?!

Antes de complicar a vida com pequenas irritações se pergunte: o que isso muda a minha vida? Essa discussão vale a pena? É um grande problema ou apenas uma chateaçãozinha? Pois é, a vida está cheia delas e cabe a…

Ver o post original 39 mais palavras