Querido diário – pausa

Não sei vocês, mas cada vez que eu vejo as falas e ações desse governo, me sinto doente, aliás, eu realmente adoeci, me tornei uma pessoa cardíaca.

Então, abandonei o meu querido diário, por um tempo, para poder respirar, me restabelecer e voltar à resistência, de uma forma mais objetiva.

É muita ignorância, falta de humanidade, de discernimento, abandono da dignidade e justiça.

Adoece quem tem por objetivo de vida os valores humanitários.

Quando nos tornamos um povo tão doente, com tanto ódio, que ri e apoia atrocidades, que tem sangue nos olhos, quando isso aconteceu?!

Quanto tempo vamos levar para recuperar a dignidade de ser brasileiro?!

Tenho uma sugestão para vocês, busquem se informar e fazer uma resistência efetiva, mas também busquem se distrair, fazer alguma atividade que traga alegria a sua vida.

Precisamos voltar a ter felicidade no Brasil, só voltaremos à condição humana se formos um povo alegre, com menos ódio no coração.

Resistência amo vocês!

Querido diário – Pepe Mujica e a justiça social

A última vez que eu estive no Uruguai, querido diário, Pepe Mujica ainda era o presidente, hoje senador.

Conversando com um dos seus eleitores, me repassou o seguinte pensamento do presidente, em toda a sociedade existem pessoas que jamais terão condições de trabalhar, seja por deficiência mental, desajuste social, ou qualquer outro problema, então, o estado tem que se precaver, formular políticas públicas para atendimento a essa população.

Confesso que, meu diário, inclusive, abriu uma nova perspectiva de mundo para mim, ampliei meus horizontes sobre políticas compensatórias, quando conheci os valores de Pepe.

Uma das minhas críticas ao estado liberal é não entender isso, as pessoas que pregam o liberalismo econômico pensam em capital, desestatização, progressão por mérito.

Quem defende o estado mínimo jamais teria uma percepção humanista do outro, da justiça social, muito menos desse outro tão carente e deficiente, que exige um olhar de extrema acuidade.

Fiquei encantada com seu olhar humano, correto e tão assertivo nas políticas públicas, implementadas no Uruguai.

Tanta generosidade, advinda de tempos extremos e de sofrimento pessoal, transformaram esse homem num dirigente único, sábio, coerente. Para mim um símbolo e uma pessoa no ápice da suas virtudes e coerência de vida.

O Uruguai sempre me foi uma referência, desde a infância, por ter nascido muito próximo àquela região.

Hoje, mais do que nunca, me aquece o coração pensar nesse país, suas políticas, sua vanguarda, sempre penso em voltar por lá.

Querido diário vivo hoje no Brasil, pensando no Uruguai.

Querido diário – reflexões de vida e a beleza que mata

Hoje, às 6h da manhã, eu bati uma foto da minha janela, de um sol vermelho, lindo, pensei, querido diário, essa beleza mata.

Mata porque as cores vem das queimadas.

Pouco depois, ainda sob o impacto daquele instantâneo, eu abri uma reportagem, que falava de uma queimada em Rondônia, onde um casal, que não conseguiu fugir do fogo, morreu abraçado.

Há dias que venho refletindo, querido diário, sobre o dinheiro, o capital, a bolsa de valores. Por que, por mais que eu pense, eu não consigo entender essa filosofia do ganhar pelo ganhar, do ter pelo ter, de cada dia apostar em ter mais.

Quando foco é apenas o dinheiro, no ganhar, há imensas perdas pelo caminho.

Para isso pessoas são sacrificadas, no excesso de trabalho, na escravidão e mortes injustificadas. Mesmo que para isso se mate populações de fome e se alimente os porcos e o gado. Mesmo que para isso se fabrique cada vez mais armas, para se vender mais armas, para se fomentar a violência e as guerras.

Uma floresta inteira está sendo destruída, povos indígenas dizimados, biodiversidade arrasada e as nascentes d’água, que garantem o futuro, poluídas, obstruídas, desviadas.

No ganho rápido, que queime tudo, que haja ouro, exploração, minério, que se enriqueça.

Que os mercados se valorizem, que o dólar suba, que as bolsas apostem no caos, que os investidores migrem de país para país, saqueando suas reservas, empobrecendo suas populações.

Enriquecer é o objetivo, sem, no entanto, se conseguir levar um tostão sequer ao túmulo.

Querido diário eu não entendo o mundo, eu não entendo a desumanidade, eu não entendo o Brasil, em que vivo atualmente, eu não entendo os empresários sem consciência, eu não entendo, simplesmente, eu não entendo.

Se prefere destruir a edificar, matar a viver em humanidade. Estamos nos condenando e as gerações futuras, pelo ganho momentâneo, pelo consumo desenfreado e desnecessário.

Querido diário viver é caro, custa vidas!

Querido diário – insanidade

Querido diário é tanta besteira que eu ouço…

O mandatário maior do Brasil fala as maiores atrocidades e seus asseclas repercutem e batem palmas, eu penso estar vivendo na Matrix.

Nepotismo é normal, tortura salvou o Brasil e torturador é herói brasileiro. Dados científicos negativos são uma balela, que não devem ser divulgados, pra não estragar o progresso brasileiro. Quando se deveria, na verdade, corrigir os erros que têm sido cometidos. Gastos com cartão de crédito corporativo da Presidência da república são sigilosos, quando deveriam ser abertos e com transparência.

Normalizaram a mediocridade, a incompetência, a falta de noção, o desmando, o autoritarismo, o descumprimento da lei, porque os fins justificam os meios e Justiça boa é aquela que aniquila com o meu inimigo.

Direitos humanos é coisa para proteger vagabundo e não conquistas históricas mundiais, advindas da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (França 1789) e da Organização das Nações Unidas (ONU) que, em 1948, criou a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Eles são todos os direitos e liberdades básicas, considerados fundamentais para dignidade humana. “São direitos humanos básicos: direito à vida, à liberdade de expressão de opinião e de religião, direito à saúde, à educação e ao trabalho.”

Então, na Matrix, querido diário, ser humano e preservar valores básicos de convivência e respeito é ser fraco, é ter bandido de estimação, apoiar corrupto, ser esquerdopata, petralha e comunista.

Se o presidente da república chama torturador de herói, deixa, isso é uma bobagem, ele é assim mesmo…

Chorem todos os que um dia foram torturados, ou que perderam seus entes queridos na tortura.

Querido diário a Matrix é a idade das trevas. Estão surdos e cegos, não mudos, mas loucos!

Querido diário – eu não quero perder a esperança

O meu marido às vezes pede, que nos finais de semana, eu não acesse os canais políticos, ele sabe da minha constante preocupação, com o nosso país e o nosso povo brasileiro, muitas noites perco o sono, mas eu não consigo, está em mim acompanhar a política o tempo todo, é de família e de profissão.

Ele sabe o quanto o crescimento do feminicídio, das pessoas desamparadas, as agressões aos LGBTs, ao meio ambiente, aos mais pobres, aos indígenas, aos pequenos agricultores, a educação, a saúde, com tantas agressões a tudo e a todos, eu devo estar esquecendo alguma área aqui, me desestabilizam.

Difícil manter a esperança, querido diário, quando vejo que este desgoverno ainda tem tanto apoio, é desumano!

Ser a resistência nessas horas nefastas traz uma dupla responsabilidade, conosco e com os outros. Você sabe que não pode parar, que não pode se abater, que não pode deixar pra lá, em nenhum momento, em nenhuma hora.

O cansaço emocional chega, nos abala, nessa hora precisamos nos afastar temporariamente, para renovar as energias e voltar a defesa inquestionável dos valores humanos.

Quando vejo a declaração do Candido Bracher, presidente do banco Itaú Unibanco, confesso que perco parte da esperança no ser humano: “As reformas deixam o Brasil em uma situação tão boa como eu nunca vi em minha carreira”.

Boa para quem querido diário?! Para os quase 13 milhões de desempregados, para as pessoas que estão morrendo de frio nas ruas, para os desabrigados em número crescente, dormindo embaixo das marquises, para a fome que voltou ao Brasil, o país está bom para quem?!

Está bom para quem investe em bancos, bolsa de valores, que vivem do capital pelo capital. Esses realmente comemoram.

Ai lembro da propaganda dos Médicos sem fronteiras, que fala: “podemos ser violentos, insensíveis, cruéis, egoístas, indiferentes, mas só quem pode salvar a vida de um ser humano é outro ser humano.” Aí eu respiro fundo e penso que um de nós pode salvar o outro.

Todos os dias recomeçamos, porque somos a #resistência!

Querido diário – o mito, a demência e as trevas

Eu tenho uma página no Facebook, onde eu não coloco absolutamente nada de política, porque eu ainda respeito as pessoas que votaram nessa criatura, que temos com o presidente, porque eu sempre respeitei a democracia.

Também porque acho que, momentos de otimismo e de alívio mental, são benéficos, bem-vindos é necessários, na atual conjuntura.

Vez ou outra algum leitor percebe que sou de esquerda e vem criticar a minha posição, apesar do meu respeito aos meus curtidores sobre política. Deixo passar.

A minha opção política é inclusiva. Não consigo viver sem olhar para os lados. O meu projeto de vida sempre foi para mim e para os outros, não entendo o dinheiro pelo dinheiro.

Mas quando se vê a democracia ser atacada, por um demente, que foi colocado como uma criatura útil, para que as elites do atraso, no Brasil, pudessem fazer as reformas econômica, ao seu bel prazer, desconstruindo anos de conquistas de políticas sociais, me dá um desespero.

É uma afronta ao estado democrático de direito, todos os dias.

Nunca vi tanta gente desabrigada na rua, como neste inverno. A violência expondo seus percentuais crescentes.

Está doendo viver neste Brasil desumano, hipócrita, devastador, desrespeitoso, indigno e injusto.

Querido diário não tenho e nunca tive político de estimação, mas aqueles que colocavam o dedo na nossa cara e que ainda colocam, eles tem!

Defendem um absurdo atrás de outro absurdo, que essa criatura, que se diz presidente, faz e ainda gritam, mito!

Nepotismo normal, agressão normal, falta de educação normal, demência normal, preguiça normal! Normalizaram inimagináveis atitudes, a falta de ética e a falta de humanidade.

Quero crer querido diário, que essa fase de trevas no Brasil irá passar, mas não sei e tenho medo do que irá restar.

A fotografia do quadro não está das melhores, a fiz no Museu de Arte Contemporânea – MAC, em São Paulo, porque ali enxerguei o Brasil atual, o nome: A bestialidade avança.

Querido diário – posse e porte de arma

Querido diário eu gostaria de agradecer, imensamente, ao senhor presidente o decreto funesto de permissão do porte de armas e o aumento para aquisição de 5mil unidades de munição, ao invés das 50 hoje permitidas.

Contra tudo e contra todos, inclusive as pesquisas nacionais e mundiais, agora várias categorias de cidadãos poderão conduzir suas armas carregadas.

Como mulher, eu também gostaria de agradecer, querido diário, porque agora aumentou as probabilidades das mulheres sofrerem mais feminicídios, cujos números já são assustadores.

Como cidadã, eu também gostaria de agradecer, porque já discussões, onde as pessoas puxaram armas e atiraram a esmo, matando uns aos outros e a quem estava só passando.

Posso citar, querido diário, um caso acontecido no distrito federal, onde um policial civil, por estar irritado, num congestionamento, atirou e atingiu uma criança, dentro de um carro.

Como mãe, eu me assusto com a possibilidade dos acidentes domésticos, com as crianças que terão acesso as armas liberadas.

Como a pessoa, eu fique pensando tristemente, na possibilidade do aumento dos números de suicídio, pela facilidade ao acesso às armas.

Os próprios policiais numa blitz, querido diário, ao enxergar uma arma dentro de um carro do cidadão, qual será a reação deles? Eles também estarão à mercê da morte, ou matar ou morrer.

Foi pensado, no momento desta liberação, que as armas que são roubadas, em sua maioria, vão parar nas mãos do crime organizado?!

Provavelmente, com os conflitos agrários que temos no Brasil, a zona rural vai virar um faroeste!

Deixo aqui uma pergunta, querido diário, a arma é um instrumento de ataque ou de defesa?!

Querido diário por que antecipar esse tipo de liberação, se no Congresso já estava tramitando um projeto de lei que analisava o assunto?!

Essa provação foi eleitoreira e oportunista. Não tem nada a ver com segurança pública e sim com interesses empresariais.

A quem esse decreto beneficia, efetivamente?! Para mim só tem uma resposta: a indústria do armamento!

Querido diário #resistência segue #resistência

graphite-2660516_1920

Grafite de Mari Monteiro

Querido diário você acha que eu só fico aqui desabafando com você?! É claro que não! Eu e minhas amigas, feministas de muita ousadia e coragem, resolvemos, há algum tempo, sermos resistência a esse desgoverno e criamos um grupo: o Politize-se. Estamos no Facebook, no Twitter (@se_Politize) , e no Instagram (@se_Politize),

Querido diário chegou a hora de começarmos a realmente organizar a resistência.

A resistência não publica e só repassa notícias, tem que se produzir conteúdo, ela dissemina conhecimento, ela vai ao debate público, ela vai para as passeatas, faz vídeo, live, procura documentos, se atualiza ou dá cursos, Segue blog e se atualiza por eles também.

Você não precisa participar de tudo, mas se organize para participar de alguma coisa, você é necessário neste momento!

A resistência, para ser resistência, tem que se fundamentar e rebater aquilo que acha que é errado, prejudicial ao povo e ao país em que vive. Principalmente, se as políticas públicas que o governo aplica e as informações que está disseminando são de profunda má-fé.

Então, querido diário, eu resolvi fazer uma lista, para a resistência seguir a resistência e se aprofundar no debate.

Você pode ser #esquerdistasseguemesquerdistas ou somente #resistênciasegueresistência, mas certamente com esta lista você vai se orientar e achar o seu nicho.

Porque são muitos os alvos desse governo, e é necessário muito combate, para cada política que está sendo desmontada.

street-art-2779341_1920

Grafite justraveling

Usem essas # Se identifiquem, se unam.

Segue aí minha gente a nossa lista de resistência, organizada com a minha amiga Denise Ippan. Quem quiser, me mande mais canais e eu irei atualizando aqui.

Querido diário – geração #PauloFreire

Querido diário ontem fui chamada por Carluxo de geração Paulo Freire. Que honra, isso demonstra que eu tenho senso crítico, eu tenho diálogo, eu tenho a capacidade de discernir o certo e o errado, eu sou um ser político que conhece seus direitos e seus deveres.

Foi um afago no coração essa condecoração, por conhecer este incrível educador e seguir seus preceitos, como professora que fui. Um mestre reconhecido no mundo inteiro, com títulos de doutor honoris causa, é uma titulação inenarrável ser reconhecida por geração Paulo Freire.

A geração Paulo Freire, querido diário, acredita num Brasil melhor e mais digno, mais justo para o seu povo, por meio da educação, porque sempre soube que era a melhor saída para o desenvolvimento do nosso país.

A geração Paulo Freire nunca pensou em cortar investimentos da educação, nunca pensou em cortar investimentos da pesquisa, nunca desqualificou os professores, as universidades que são polos de excelência em pesquisa, de ciência e tecnologia e de extensão.

Querido diário é um orgulho pensar que os professores, a educação e as universidades públicas sempre contribuíram por um país melhor.

Querido diário é dignificante honrar um professor, como ele merece, porque dele vem a formação e o conhecimento dos estudantes, que são o futuro do nosso país.

A geração Paulo Freire, querido diário, não menospreza a educação e o educador!

Viva a geração Paulo Freire!

Querido diário – arrependimento

Querido diário eu me pergunto quantos eleitores do Bolsonaro estão arrependidos de terem votado nele?

Sei que vários professores votaram, mesmo sem nunca terem visto uma mamadeira de piroca numa creche, uma aula de abuso sexual em suas escolas e nem tão pouco a doutrinação marxista, de que falam… Me pergunto como esses profissionais estão reagindo a retirada dos cursos de filosofia e sociologia do ensino superior, se concordam com as mudanças na educação, com o novo ministro e com as propostas estapafúrdias, com o corte de verbas para as bolsas de pesquisa?

Também sei que alguns amigos, que defendem um mundo com atenção a natureza, a sustentabilidade e a preservação das áreas de Proteção ambiental também votaram neste candidato. Aí me ocorre a mesma indagação, satisfeitos com o desmonte do CMBIO, do IBAMA, com o descaso com o meio ambiente, com a perda de grande parte da equipe técnica demitida, com mais de 20 anos de experiência na área? E a proteção da natureza e das águas, com os mais de 400 agrotóxicos aprovados? O desmatamento da Amazônia, a invasão pelos grileiros e pelas mineradoras das terras indígenas preservadas? Como eles estão se sentindo com isso?

E as pessoas da saúde? Milhares de brasileiros sem atendimento médico, principalmente no interior do país, porque os médicos cubanos foram mandados embora e os brasileiros só assumiram em lugares convenientes. Hoje os hospitais estão cada dia mais lotados, porque as unidades de saúde foram fechadas ou estão sucateadas. Como estão sentindo?! Sei de uma médica, porque ela me disse, com mais de 20 anos de profissão, que a é primeira vez que tem vontade de se demitir do hospital público, porque ela gostaria de estar atendendo os casos graves, da área dela, AVC, infarto do miocárdio, mas está atendendo gripes, resfriados, infecções de garganta, porque a população não tem mais posto de saúde… O atendimento básico à saúde acabou!

Segurança pública, estão gostando? A única coisa que eu tenho visto é a morte de pessoas sem qualquer ligação com o crime, de trabalhadores, não estou vendo nenhum combate ao crime organizado e as milícias. As taxas de feminicídio aumentaram drasticamente. As mulheres se sentem mais seguras com a liberação do porte de arma?! Passou a sensação de que é possível ser estuprada a qualquer momento?!

Quem votou nele está gostando da reforma da previdência? Ou vai ser atingido por essa reforma em cheio?! A reforma que não mexe com privilégios de bancos, que aumenta o soldo dos militares significamente (em alguns casos em até 73%), que não mexe com grandes fortunas. O cidadão comum tem que pagar impostos, o de renda e todas as taxas impostas pelo governo, como IPVA e o IPTU. E para as grandes empresas o governo é um pai cheio de bondades, tem parcelado seus devidos impostos, inúmeras vezes, com imensos descontos, sem necessidade alguma, tem até um cidadão que conseguiu parcelar em 104 anos.

Os ricos não pagam taxas pelo seus aviõezinhos, nem pelo seu jet-ski, pelo seu iate, podem voar e navegar livremente, sem taxa nenhuma, sem imposto nenhum por esses bens de nenhuma necessidade, você está sentindo representado?

Não questiono nenhuma pessoa da área da economia liberal, essas votaram conscientes com o que pensam, com o desmonte do estado, na desestatização, de acordo com o pensamento liberal. Votaram por este motivo, são extremamente coerentes com seu voto, até tinham outros candidatos para votar: o Alckmin, o João Amoedo, o Meirelles, até mesmo o Ciro Gomes, que já foi ministro da fazenda. Temos aqui um fato concreto, não quiseram arriscar, preferiram votar num inepto e inapto, apostando em Paulo Guedes.

E os filhos querido diário, o que é isso?!

Querido diário tem sido difícil assistir a tudo isso, como já falei antes, mas eu sabia que tudo isso iria acontecer e por isso repudiei desde o início este candidato. Eu não tenho nenhum arrependimento do meu voto.

querido diário como viver nesse país onde as pessoas deixaram de se importar e agora o que realmente importa?! É só o dinheiro, o capital, o dólar, a bolsa? Qual o cidadão comum que aplica o seus parcos recursos nesses lugares ?! Aliás, aplicar o quê?! Muitos deles estão desempregados e nem se sustentar e a sua família conseguem…

Trocaram o ser pelo ter! Só que quem vai ter não é o povo brasileiro, é aquele que sempre teve e cada vez terá mais!

Querido diário – Humanas

Querido diário confesso que ando meio inquieta.

Fiz Estudos Sociais depois História, cursei, parcialmente, uma pós-graduação em Educação e Ciência Política e, por final, um mestrado em Ciência Política. Como gosto das ciências humanas! Como elas são perigosas para os ditadores!

Tive excelentes professores, já no segundo grau e olha que eu fazia um curso técnico de laboratório, porque, a principio, pensei em fazer medicina.

Esses professores me influenciaram, a ponto de resolver seguir uma carreira acadêmica. Eles instigavam o pensamento crítico, o debate, a análise. Estávamos na época da abertura política e nem tudo era permitido, mas os sonhos eram grandes.

A ditadura já tinha acabado com a filosofia, retirou das matérias curriculares e colocado em seu lugar moral e cívica e o OSPB. Os alunos, para eles, os autoritários, tinham de aprender os hinos e esquecerem de pensar, era só decorar a letra.

Mas a minha geração não queria só cantar, até queria, mas as músicas eram diferentes, Para não dizer que não falei de flores, cálice, Coração de estudante, Vai Passar, O bêbado e o equilibrista, entre tantas. Queríamos ouvir o Ivan Lins, o Chico, o Milton, a Elis Regina, o Gonzaguinha, o Geraldo Vandré, o Taiguara, queríamos a voz da resistência e da liberdade e queríamos gritar aos quatro cantos que um dia o julgo deles iria acabar!

Querido diário, tem sido difícil, tempos difíceis, angustiante assistir o desmonte do Brasil, o retrocesso, a destruição das políticas públicas, tão importantes. Eles querem nos dobrar!

Sabemos que somos #resistência, que estamos irmanados em não deixar esse governo leviano destruir o Brasil.

Nossa, querido diário como tem sido difícil, como tem doído, como, as vezes, querendo manter a cabeça erguida, nos vergam, aí choro, existe uma corda que aperta nosso pescoço, nos joga ao chão, mas sabemos que precisamos lutar.

Diário, meu querido diário, mesmo assim não quero esquecer nenhum dia desses, por vezes, em desespero, porque ainda sou historiadora. Mesmo assim pretendo levantar a minha voz, em todos esses dias.

A humanidade das ciências humanas me ensinou que eu posso e devo lutar, por aqueles que não tem voz!

Querido diário – mulher objeto não!

#NaoSouMulherObjetoDeGringoSenhorPresidente

Querido diário,

Resolvi registrar o que vem acontecendo no Brasil, porque é tão surreal que eu não sei se eu vou lembrar daqui alguns anos, por tudo que nós temos passado com esse senhor presidente.

Eu não votei nele, nesse presidente que está aí, porque, na época do pleito eleitoral, ele parecia ser machista, homofóbico, xenófobo, misógino, enfim uma série de “qualidades” que eu queria bem longe de mim e do meu país. Estou estupefacta, ele é realmente tudo isso!

Ontem, querendo defender o Brasil de uma ameaça gay estrangeira, o nosso presidente ofereceu as mulheres brasileiras para os turistas virem para cá treparem.

É um termo forte, né?! Mas é assim que nós mulheres nos sentimos com esse tipo de fala, tratadas como objeto.

Veja bem querido diário o sexo seria só com as mulheres, só homens com mulheres, melhor explicando, homem com homem não pode, mulher com mulher também não!

Eita, já pensou se no Brasil tivesse turismo sexual?! Já pensou se no Brasil tivesse turismo sexual com crianças, com meninas?! Ainda bem que este senhor pensa no seu país e num ato de bondade oferece só as mulheres do Brasil para transar com turista!

Querido diário eu queria dizer vários impropérios, neste momento, mas eu te respeito, os palavrões seriam para ele, não para você.