Querido diário – insanidade

Querido diário é tanta besteira que eu ouço…

O mandatário maior do Brasil fala as maiores atrocidades e seus asseclas repercutem e batem palmas, eu penso estar vivendo na Matrix.

Nepotismo é normal, tortura salvou o Brasil e torturador é herói brasileiro. Dados científicos negativos são uma balela, que não devem ser divulgados, pra não estragar o progresso brasileiro. Quando se deveria, na verdade, corrigir os erros que têm sido cometidos. Gastos com cartão de crédito corporativo da Presidência da república são sigilosos, quando deveriam ser abertos e com transparência.

Normalizaram a mediocridade, a incompetência, a falta de noção, o desmando, o autoritarismo, o descumprimento da lei, porque os fins justificam os meios e Justiça boa é aquela que aniquila com o meu inimigo.

Direitos humanos é coisa para proteger vagabundo e não conquistas históricas mundiais, advindas da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (França 1789) e da Organização das Nações Unidas (ONU) que, em 1948, criou a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Eles são todos os direitos e liberdades básicas, considerados fundamentais para dignidade humana. “São direitos humanos básicos: direito à vida, à liberdade de expressão de opinião e de religião, direito à saúde, à educação e ao trabalho.”

Então, na Matrix, querido diário, ser humano e preservar valores básicos de convivência e respeito é ser fraco, é ter bandido de estimação, apoiar corrupto, ser esquerdopata, petralha e comunista.

Se o presidente da república chama torturador de herói, deixa, isso é uma bobagem, ele é assim mesmo…

Chorem todos os que um dia foram torturados, ou que perderam seus entes queridos na tortura.

Querido diário a Matrix é a idade das trevas. Estão surdos e cegos, não mudos, mas loucos!