Coluna

poesia by Adriana Fetter

Remexo,

Belisca

Centralidade deixo

Prumo se vai,

Sai do eixo

Volta,

Empena

Reflete até o queixo

Nervo exposto

Corpo transformado

Enrolo, enfeixo

Tenta centralizar

Foca,

Não é desleixo

Acontece

Finaliza

Como semieixo.

Comunhão (AF)

sculpture-3463960_1920

Estranho perceber
Que a vida pode ser muito mais
Mais carinho, ternura, afeto…
E, isso, aos poucos me tomar conta
De uma forma inusitada
Como se o universo me penetrasse
Fazendo aflorar todos os sentidos do corpo
E saber, que você amado e desconhecido
Venceu as muralhas que resistiam bravamente
Para que finalmente eu fosse sua
Sem restrições, só sua!
Apenas sentindo …
Comungando em seu corpo
Sem nunca tê-lo tocado
Mas sendo completamente tocada por você
Não sei se isso é poesia,
Só sei que meu corpo leu cada verso!

poesia Adrianafetter