Dica – bolo Fit

Esse bolo não tem açúcar, leite ou farinha de trigo, o que o deixa muito leve é uma ótima opção para um café da tarde sem muitas calorias.

Vamos aos ingredientes:

  • 3 ovos
  • 5 bananas bem maduras
  • 2 xícaras de aveia (Pode substituir a aveia pela quinua)
  • 1 copo de damasco picado
  • 1/2 copo de nozes picadas
  • 1/2 copo de uva passa
  • 1/2 copo de ameixa preta picada

Pré aqueça o forno na temperatura média.

Coloque no liquidificador os ovos com as bananas e bata bem, depois passe para um refratário e ponha os outros ingredientes. Misture com uma colher. Coloque em uma forma untada e asse em temperatura média até o bolo ficar dourado.

Coe um cafezinho e aproveite o seu sábado!

Separação, precisamos conversar sobre isso

Eta fase difícil essa da separação, não tem como sair inteira, mas a gente tem que aprender a se reconstruir, é mais do que necessário, e passa, como tudo, passa.

Mesmo quando a separação é uma decisão nossa, não tem como não se magoar.

A separação dói muito, porque você vê indo embora todo um futuro de vida que foi planejado por anos. Porque temos que largar no meio do caminho um amor que não é mais nosso.

É hora de repensar quem você será daqui pra frente e o que vai fazer com toda uma vida que não existe mais, que foi tão planejada, mas acabou.

Não se preocupe, você vai dar conta, dói, mas superamos ,eu tenho certeza, eu dei você vai dar o seu melhor jeito.

Desculpem aos homens que me lêm, mas aqui eu tenho que falar com mulher, então eu vou falar com os artigos femininos. É a minha experiência de vida.

Aqui só vou falar sobre você, porque filhos é um outro capítulo, muito importante, então vai só um aviso, a separação é só do casal, filho continuará sendo filho, não precisa ser magoado mais do que ver os pais em crise.

Depois de tudo superado você vai sair poderosa dessa experiência, porque ela nos da força, ela nos quebra, mas depois ela não nos reconstrói e ficamos mais forte diante da vida.

E um dia, sem mais nem menos, nós voltamos a amar.

Esperança – setembro amarelo

wp-image--896341817.

 

O mês de setembro é o mês de prevenção ao suicídio, é o setembro amarelo.

A depressão é muito triste e mata mais do que nós podemos imaginar.

Pretendo sempre aqui no blog tratar desse assunto, para que as pessoas tenham consciência e possam procurar ajuda, ter a ajuda que necessitam.

Não fique alheio a uma tristeza constante, se ela se estabelecer por muito tempo procure ajuda profissional.

Saiba que você não está sozinho, sempre existe uma mão estendida que pode lhe auxiliar. Se a coisa apertar, procure um Centro de Valorização da Vida (CVV), ou a CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) .

Se cuide, se ajude!

Vou deixar aqui contatos de ajuda:

Telefone do CVV –  141

Facebook do CVV

Chat do CVV

Blog do CVV

Eu carcereira de mim mesma

Em agosto, setembro e outubro de 2017 eu estava me recuperando de uma cirurgia do ombro. Estava em casa, com o braço imobilizado, poderia não ter horários, fazer o que bem quisesse, mas a realidade é que eu não conseguia!

Na minha cabeça sempre existiram regras pré determinadas, hora de tomar café, horário de tomar banho, fazer fisioterapia, sentar para escrever, publicar os textos e, assim, tem sido a minha vida. Eu sou a carcereira de mim mesma, prisioneira das minhas próprias regras.

É tão cansativo lutar dentro de si mesma entre cumprir aquilo que se pré estabeleceu e tentar ser um pouco mais livre, menos rígida. Chega a ser frustrante!

Essa luta interior perdura há anos. Eu queria agora ser um pouco mais relax, não tenho obtido muito sucesso nisso.

Tenho um lado prisioneira e outro carcereira, muito rigorosa, acho que muito mais comigo do que com quem convive com a minha pessoa (teria que perguntar à elas) .

Seria herança do lado da minha família alemã?! Pode ser que sim. Acompanhei a vida da minha avó anos a fio, levantar as 5h, inverno ou verão, para acender a lenha no fogão. Servia o almoço pontualmente às 12h e o jantar as 19h. Também não gosto de atrasos aos compromissos assumidos.

Nessa altura da vida, gostaria de me permitir algumas liberdades nas regras. Transgredir meus horários, fazer um brunch, unindo café e almoço.

Deixar de escrever e publicar não, isso me faz muito bem, é um sopro de renovação, para fazer tenho que ler e isso liga a minha cabeça de um jeito legal.

Gostaria de conseguir soltar minhas amarras, ser menos rígida, em algumas horas até consigo, viajo vendo filmes ou séries de que gosto.

E vocês, quais amarras a vida impôs?!

Link

Cascais portugal

 

CONSOLO NA PRAIA – Carlos Drummond de Andrade

Vamos, não chores…

A infância está perdida.

A mocidade está perdida.

Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.

O segundo amor passou.

O terceiro amor passou.

Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.

Não tentaste qualquer viagem.

Não possuis casa, navio, terra.

Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,

em voz mansa, te golpearam.

Nunca, nunca cicatrizam.

Mas, e o ‘humour’?

A injustiça não se resolve.

À sombra do mundo errado

murmuraste um protesto tímido.

Mas virão outros.

Tudo somado, devias

precipitar-te, de vez, nas águas.

Estás nu na areia, no vento…

Dorme, meu filho.

 

 

A dita independência financeira

Parece que, enquanto somos crianças e frequentamos a escola, não fica claro como nos preparam para a correria que será a nossa vida.

Assim, quando você acabar o segundo grau vai ter que sair correndo, ou fazer um curso superior, ou ir para um curso técnico, ou enfim trabalhar.

Nunca mais vai realmente vai descansar até que consiga dinheiro para comprar o que você sonhou.

Se conseguir esse dinheiro, ele nunca será suficiente, porque sempre queremos mais alguma coisa, na educação de consumo.

Sempre corremos atrás de ter uma independência financeira, de poder comprar as coisas que a vida inteira desejamos, porém não tínhamos dinheiro para ter.

E, finalmente, quando tivermos, como será a primeira sensação depois da compra, provavelmente uma gostosa. É a satisfação de uma grande conquista.

É um pequeno prazer, vibramos interiormente, por ter em mãos algo tão desejado que antes nunca não havia a possibilidade comprar.

Quando nos damos conta, a vida passou.

O que que realmente aproveitamos de toda essa corrida atrás de bens e dinheiro que fizemos?! O que temos pra contar da nossa vida?! O que usufruímos efetivamente dela?! E os nossos filhos, o que tem a nos dizer sobre o tempo que passaram conosco?!

Acho que essas são as perguntas que realmente importam, o que fizemos da nossa vida?!

Se a resposta for boa, parabéns você conseguiu se equilibrar entre ter, ser e viver!

Cabelos Grisalhos

cabelo-branco

Publiquei um post sobre auto estima numa página que eu faço parte, que trata de cabelos grisalhos. Algumas pessoas me perguntaram sobre tratamento de cabelo. Eu confesso que eu não sei muito do assunto, porque eu uso apenas shampoo para bebês. Sou alérgica, então eu escolho um shampoo neutro, uso atualmente o da granado, que é o que eu mais gosto e lavo meu cabelo todos os dias . Tenho a sorte de ter um cabelo bem legal que não precisa de muita química.

Mas o assunto despertou em mim a curiosidade de saber mais e procurar produtos para cabelos grisalhos, até porque no Pós50, na meia idade, as pessoas começam a ficar grisalhas.

Atualmente usar cabelos grisalhos também está na moda. Fui pra internet para produzir um post bem legal. Achei um monte de produtos, vários mesmos, de todos os tipos e preços também.

Um cabelo grisalho bem cuidado tem o seu charme! Esse tipo de cabelo precisa de mais hidratação, fica amarelado naturalmente e, como tem quase nada de queratina, não pega tinta facilmente.

Existem produtos para desamarelar, para tonalizar o cabelo de cinza ou violeta e muitos produtos para hidratar desde shampoo, condicionador, hidratantes, máscaras, muita coisa mesmo.

Os produtos utilizados requerem mais tempo nos cabelos, cada um deve ficar de três a cinco minutos nos antes do enxague, para uma hidratação correta.

Abaixo seguem vários produtos indicados para você curtir o seu grisalho.

Dia Internacional da paz – favela da Rocinha RJ

Ontem falei sobre o dia Internacional da paz e me ative aos conflitos internacionais e aos conflitos pessoais, sem pensar que hoje ao amanhecer a Rocinha estaria em guerra.

Que tristeza minha gente, o Rio de Janeiro está em guerra.

Como ficam os moradores da Rocinha? Milhares de pessoas que não tem nada ver com tráfico, mas que moram numa região pobre e que se vêm refém desta situação ficam no meio do tiroteio entre polícia e traficantes.

Agora a tarde 950 homens das forças armadas brasileiras se preparam pra fazer um cerco na Rocinha. Imagino o sofrimento das mães desses rapazes que terão que enfrentar os traficantes do morro.

Toda a minha solidariedade às famílias que moram naquela comunidade, aos pais, as mães aos filhos, essas crianças que estão vendo esse massacre e sofrendo todos os dias essa violência, a eles toda minha solidariedade.

Dia Internacional da paz

É hoje, o dia Internacional da Paz, será que temos realmente como comemorar isso?!

Onde neste mundo está havendo paz?!

Eu não sei responder isso, porque os conflitos pessoais são enormes, as desavenças entre grupos nem se fala.

Em Myanmar uma minoria muçulmana tenta desesperadamente fugir da perseguição e limpeza étnica que o governo impõe. Por quê não conseguimos conviver com as diferenças?!

Tivemos uma forte ameaça no mundo, por Coréia do Norte e Estados Unidos, assistimos os seus governantes se degladiarem, podendo estabelecer uma nova guerra mundial. Agora há uma chance para um armistício finalmente, depois de décadas, seja restabelecida as negociações, com o objetivo de superação do conflito.

Não existe paz na desigualdade, onde existe a fome, onde não há democracia, onde os povos sofrem com os tiranos.

Triste mundo esse nosso onde apontar o dedo para o erro do outro é sempre o início de um novo conflito. Sim, porque sempre apontamos o dedo para o outro e esquecemos de fazer a nossa própria auto crítica, que seria o início do não conflito

Eu gostaria imensamente de falar qualquer outra coisa hoje sobre o dia Mundial da paz, mas nada me ocorre a não ser embates e divergências, exceto as Coréias.

Está na hora de cada humano perceber que o primeiro passo para a paz pressupõe o respeito ao outro e as diferenças.

Você pode discordar sem estabelecer um conflito, sem ser agressivo e sem tentar tripudiar  a opinião do outro.

Olhe para o seu coração e se pergunte se a base na sua discussão está no ódio que você mesmo criou e agora tenta jogar pra fora, inconsequentemente, na verborragia das palavras.

NAMASTÊ!

Um momento pode mudar tudo

Li essa frase ontem, é sobre um lançamento de um novo filme, isso tem sido muito presente na minha vida, momentos que podem mudar tudo, realmente podem!

Uma amiga querida desapareceu da noite pro dia e nunca mais foi encontrada, vi meu pai sair caminhando para o hospital e nunca mais voltar,

Um terremoto no México mudou a vida de muitas famílias, foi uma grande tristeza pairando sobre elas. Assim foi também com as bombas, com as guerras, assim está sendo com os furacões, o nosso mundo está mudando e não estou vendo muita gente tentar mudar alguma coisa para que este mundo fique melhor.

O que nós vamos fazer para que os nossos instantes futuros se tornem mais razoáveis?!

Acredito que para as mulheres o momento em que tudo muda é quando se tornam mães, você conhece o amor incondicional, isso muda a sua vida, por isso mesmo vejo nas mulheres a força motriz de transformações, somos mais sensíveis e conseguimos operar mudanças com essa sensibilidade.

Aí eu me pergunto, o que nós mães estamos fazendo para tornar este mundo melhor, mais razoável para os nossos filhos e para os nossos netos?!

Somos nós que podemos mudá-lo com pequenas ações dentro de casa. Porque, se um instante pode mudar tudo, uma vida com nossos filhos pode mudar muita coisa.

Roncando

Acho que roncar faz parte da natureza humana. Não, não é só humana, já vi gato roncar, cachorro roncar.

acredito que com passar dos anos as dificuldades de respiração acentuam o nosso ronco.

Eu ronco e falo isso com muita naturalidade. Gostaria de roncar menos, gostaria de ter mais facilidade para respirar à noite, mas fazer o que?!

Eu faço tratamento para isso, uso remédio nasal, lavo o nariz com soro fisiológico para evitar entupimentos, mas mesmo assim ainda não consegui parar de roncar.

Dizem que chumbo trocado não dói, portanto o marido não pode reclamar de nada, já que ronca pra caramba!

Fibromialgia

woman-2696408_1920

Ao ver a notícia que Lady Gaga cancelou sua vinda ao Brasil por causa da fibromialgia resolvi escrever sobre isso.

Há uns 15 anos eu experimentei uma sensação terrível, eu tinha dores agudas pelo corpo e caminhar era muito difícil, subir escadas quase impossível, as minhas pernas doíam de uma maneira absurda. Fui a médicos o diagnóstico foi de fibromialgia, confesso que foi um misto de terror e pânico, porque eu sabia que as pessoas que tinham essa síndrome praticamente eram escravas da dor.

Conviver com a dor é uma das coisas mais difíceis, quando ela se torna persistente e contínua ela mina a sua resistência, a sua paciência e o mundo se torna sem cor ou marrom. Nada tem graça você só pensa no momento em que tudo vai passar, só deseja que a dor vá embora. Toda a sua vida fica muito limitada, foi que aconteceu comigo.

O tratamento para fibromialgia é feito com anti inflamatórios, relaxante muscular e com analgésicos, o uso prolongado desse tipo de medicação causa muitos outros problemas para o corpo, você se torna uma refém da medicação e das reações adversas que ela causa.

Iniciei o tratamento convencional, os anti inflamatórios atacavam o estômago e o relaxante muscular me deixava fora do ar e do mundo o dia inteiro, eu não aguentava nem ficar em pé de tanto remédio, então desisti.

A minha médica na época sugeriu um tratamento completamente alternativo, a homeopatia e acupuntura e assim foi feito.

Eu fiz acupuntura por dois meses todos os dias e o tratamento com homeopatia por seis meses, posso dizer com tranquilidade, até hoje não tive mais nenhuma crise aguda como aquela de 15 anos atrás. As vezes surgem pequenas dores, que logo desaparecem, mas nada comparado como uma crise de fibromialgia.

A fibromialgia te incapacita. Desejo que as pessoas que hoje sofrem dessa doença possam um dia viver livre dela.

Torta fria de atum

Essa torta além de ser simples, descomplicada, vai facilitar a sua vida, desde um lanche rápido até uma festa, quando tiver de levar alguma coisa. Quase nenhum trabalho aqui. Só sucesso! Rende bastante!

Você só tem que comprar produtos de boa qualidade.

  • 3 latas de atum
  • 2 pães de forma cortado ao comprido, para torta fria
  • 2 vidros de maionese light 500g
  • 1 vidro de geléia clara, pêssego, abacaxi, damasco, qualquer uma delas
  • caldo de legumes ou leite para umedecer o pão
  • pimenta do reino a gosto (opcional)
  • 1 prato grande

umedeça cada fatia de pão (se não tiver nem caldo nem leite, pode usar um pouco de água, com um borrifador fica melhor ainda), abrindo 3 fatias ao fundo, misture o atum com a maionese e intercale, pão, pasta de atum, depois de 2 camadas a terceira será de geléia, depois mais 2 camadas de pão e atum e está pronta. Cubra com o outro vidro de maionese e enfeite do seu jeito, com batata palha, salsa e cebolinha, azeitonas, picles, tomate cereja ou simplesmente riscar com o garfo, como aí em cima. Uma alface picada na volta dá um charme. Coloque na geladeira para esfriar e conservar, de preferência em um prato com tampa ou cubra com filme plástico.

Fala sério! Cansou de tanto trabalhar, facílima, serve de entrada para um jantar, ou um prato para mesa de petiscos ou para o que você quiser, já que a torta é sua!

Imaginação

O que seria de nós sem a nossa imaginação, como seria nossa vida sem sonhar, sem projetar?!

Todo grande projeto sempre se iniciou com um sonho, com uma imaginação muito fértil.

Eu percebo que pessoas com uma imaginação rica, crianças com uma imaginação fértil produzem mais, são mais ativas, querem construir coisas, desenham, parecem ser muito mais alegres do que aquelas que vivem uma vidinha sem muitos recursos imaginários.

Mas também vejo uma questão bem antagônica nisso quando se projeta muitos e sonha muito o quanto de frustração não haverá na nossa vida?! Como aliar o sonhar com o fazer??

Acho que eu gosto tanto de artesanato por isso, porque ali tem uma pessoa que sonha, que constrói o sonho, ninguém fez antes dela, da maneira dela, ela conseguiu concretizar um pedaço da sua imaginação, E a imaginação e o criar de cada pessoa é único.

A minha capacidade de imaginação vem das palavras, montar uma palavrinha atrás da outra e formar um texto, eu sempre me expressei através das minhas palavras.

Eu também sonho muito, não estou falando do sonho de fechar os olhos e dormir e sonhar, estou falando dos projetos dentro da minha cabeça, eles sempre me proporcionaram crescer, saber onde eu queria chegar, o que eu queria fazer no futuro. Eu gosto de imaginar para construir, para alcançar os meus objetivos.

Foi assim quando eu conheci Brasília, pensei quero morar aqui, e aí eu fui construindo na minha cabeça como eu iria fazer para morar naquele lugar, descobri o mestrado, uni a vontade de estudar e a possibilidade de morar em Brasília. Assim eu cheguei em Brasília!

Depois veio a vontade de conhecer Portugal. Já falei num texto passado que eu comprei um guia turístico, olhei muito aquele guia, por 10 anos, até que eu concretizei a minha viagem e fui pra Lisboa.

Assim é a vida gente, imagine, sonhe, porém não deixe de concretizar, faça com que o seu sonho vire uma realidade, um momento de felicidade.

Pode ser escrevendo uma história, fazendo uma nova receita, criando um artesanato, criando uma peça de roupa, customizando uma camiseta. Quando nós criamos nós colocamos a nossa vida em ação e a nossa imaginação sempre pode virar realidade.

Cama, mesa e banho

img_3619

bordados de família – minhas relíquias

Eu sempre escolho comprar produtos de qualidade, claro que temos de pagar mais por eles, em compensação a durabilidade é muito boa e o tanto que usamos paga vários de qualidade inferior.

Não costumo seguir moda, nem sempre gosto das coisas que estão na moda, faço isso tanto em roupa pessoal, como para casa, nas estampa de toalha de banho, lençóis, procuro coisas mais neutras, aquilo que realmente me agrade, mas com uma qualidade muito boa.

Ahhh, o conforto para mim também é fundamental, por isso a escolha por qualidade, as minhas escolhas pessoais são lençóis 100% algodão, de preferência acima de 200 fios, os meus tem anos e anos de uso, eu invisto muito pouco em roupa de cama e banho, por ano. Detesto dormir numa cama cheia de bolinha, arranhando a pele, é frescura, eu sei, mas eu gosto de dormir numa cama bem macia, bem confortável.

Por ter escolhido coisas muito boas elas duram muito, então não sai tão caro, o custo beneficio é muito bom!

Uso a mesma fórmula com as toalhas de banho, porque me secar numa toalha áspera se posso me secar numa toalha felpuda macia que vai me secar com muita suavidade?! Uma delícia de carinho que me faço.

Assim vejo a vida, a gente já passou tanta coisa lá fora, o mundo já é duro o suficiente, então, pelo menos dentro de casa, que ela seja macia, suave, gostosa e que nos trate com carinho, essa minha é a minha opção.

Escolho produtos bons que me satisfaçam, dizem que isso é uma mania de taurina, não sei se ligo muito pra essas coisas de signo, mas deve ser, porque conforto é bom e eu gosto muito!

Hipocrisia

Hoje eu estava olhando quais eram os artigos mais comentados no Google e apareceu o seguinte título: exposição Santander fotos. Ir lá não pode, ver na internet, OK. O tema da exposição confesso que não me atrai, o que aconteceu sim.

Eu achei de uma hipocrisia tão grande, o que tem de falso moralista que prega uma coisa de dia e faz outra a noite, foi o que o banco fez, aprovou todas as obras, quando patrocinou essa exposição e recolheu recursos públicos para a mesma, conhecia todas as peças que estariam expostas, sabia muito bem do que se tratava a exposição.

Não vou aqui discutir se a exposição deveria ou não deveria ser exibida, imagino se Michelângelo sofreu o mesmo com suas obras, mas com certeza não deveria ser proibida ou suspensa.

Bom senso existe para isso, é que nem horário apropriado para se ver televisão. Certamente para crianças não é apropriada, elas não têm o discernimento suficiente para internalizar esse tipo de conteúdo.

Eu não vi as obras, não as conheço, provavelmente não iria porque não é o que me atrai. Mas arte é assim, revolução, quebra de paradigmas, discussão, rebeldia.

Acredito que deve ser assim, não gosto não vou.

Achei tudo um grande fiasco, uma grande hipocrisia!

Família

Tem dias que fico pensando sobre o que escrever. Falta inspiração, não surge nada, aí com as minhas leituras uma coisa apareceu, conflito em família.

Gente, família é uma coisa muito boa, mas também uma coisa muito complicada.

Não estou falando dos filhos diretos. Eu tive muita sorte com os meus, são ótimos, estou falando do entorno, tios, tias, primos, primas, aí começa a complicar. Quanto maior, pior fica, fofoca, disputa, brigas. Onde vai parar todo o amor dedicado quando fazemos a criação de nossos filhos, quando brincávamos com nossos primos?!

Se tiver dinheiro no meio então complica mais ainda. Vejo muitas histórias de famílias que são desfeitas por dinheiro, coisa pouca as vezes, mas mesmo assim acontece.

Aí me pergunto qual é a solução?! Porque em criança é tão bom brincar com os primos, com as primas, sair de férias com a família. O que acontece depois quando a gente cresce?! Será que é isso que nos resta?! Cresceu o conflito aparece?!

As vezes me pergunto se com os meus netos e os filhos deles será também assim, se haverá discórdia no futuro. Isso me entristece…

Eu fujo de conflito, detesto, até perco dinheiro pra não entrar em conflito, se é isso que me resta é isso que será. Quero mesmo é paz no meu coração e para a minha cabeça.

É o que eu desejo para vocês, paz!

Minha amiga Zezé

Parei o meu trabalho e fui correndo para o banheiro, fazia um tempão que eu queria fazer xixi. A única coisa em que eu pensava era num banheiro, naquele momento.

Entrei, fechei a porta do box e aí vi que alguém entrou no momento em que eu falava, nossa como eu estava apertada.

A pessoa do outro lado falou comigo, nossa também estava, me disse ainda, sabia que faz mal ficar  retendo xixi?! Que não se deve fazer isso?! A gente devia ir ao banheiro sempre que  sentisse vontade, e eu concordei. Realmente!

Do outro lado a pessoa ainda me falou, um médico me disse que se você sofrer um acidente com a bexiga cheia você pode estourar sua bexiga, isso é uma coisa quase irreversível, os médicos condenam, fora os problemas que podem causar aos rins.

Mais uma vez eu tive que concordar, aquilo fazia muito mal. E assim ficamos, batendo um papo sobre xixi, enquanto as duas esvaziávamos nossas bexigas.

Quando terminamos saímos para lavar as mãos .

Aí eu olho para o rosto daquela voz que me pareceu tão familiar, tão íntima e tão perto de mim o tempo todo, era ninguém mais, ninguém menos do que Zezé Motta, com um enorme sorriso, a minha amiga Zezé!

La la land

Tenho certeza que neste post eu vou dividir opiniões como filme dividiu.

Ao contrário de um monte de gente eu amei este filme!

Música, romance, dança, um figurino lindo, imagens maravilhosas, não teve como não gostar, achei lindo.

Merece ser visto no cinema num enorme telão!

Ouvi essa trilha sonora centenas de vezes, repetia, ouvia de novo, não é por acaso que ganhou melhor música no Oscar.

Já falei que sou romântica e acho que é sempre tempo de exaltar o amor, a paixão, seja por música. seja por dança, ou em um filme, junte os três e me deixarão feliz da vida!

Que venham as opiniões em contrário!

Sardela e Caponata

Que tal um queijos e vinhos?

E essas receitas podem servir até para intolerante à lactose, coisa comum hoje em dia, mas com a minha sugestão pode, nada leva leite, troque apenas para frios e vinhos!

Vamos de Sardela e Caponata – delícia! Uma entrada italiana.

Nada difícil, só um pouco de cortes de legumes a faca…

Caponata

• 1 berinjela

• 1 abobrinha

• 1 cebola média

• 3 pimentões pequenos – 1 verde, 1 vermelho, 1 amarelo

• 1 xícara de azeitonas sem caroço

• 1 pacote de uva passa (opcional)

• meia xícara de azeite

• meia xícara de vinagre de maça

• pimenta do reino, pimenta calabresa à gosto

• 1 colher de chá de orégano

• sal a gosto

• 1 forma de alumínio pequena ou média

• papel alumínio

• 1 folha de louro

forre a forma com o papel alumínio, disponha os legumes previamente cortados em cubinhos, regue com a mistura do azeite com o vinagre e os temperos, junte a folha de louro e leve para assar em forno pré aquecido em 200ºC, coberto com papel alumínio. Leva uma meia hora, mais ou menos. Coloque as azeitonas picadas. Ajuste o sal para servir, dura uns 20 dias guardado na geladeira em pote fechado.

Essa o forno fez o trabalho por você! Então enquanto a caponata assa vamos fazer a sardela?!

Sardela

• 2 latas de sardinha grandes ou 4 pequenas

• 2 latas de atum ralado

• 1 lata de anchovas (opcional)

• 1 cebola média

• 1 dente de alho

• 1 lata de extrato de tomate pequena ou 3 colhes de sopa (Prefiro o do bichinho verde na frente rsrsrsrs)

• 1 xícara de azeite

• 1 folha de louro

• 1 colher de chá de orégano

• sal e pimenta calabresa à gosto

Escorra as sardinhas e amasse com o garfo, junte o atum escorrido, junte as anchovas amassadas (elas tem um gosto mais forte). Numa panela média leve o azeite ao fogo para dourar as cebolas com o alho picado ou espremido, junte o extrato de tomate para refogar mexendo sempre, acrescente o louro, depois de refogar o extrato por 5 min junte a mistura de sardinha, anchovas e atum e refogue por mais 5 min. Acrescente o orégano, a pimenta e ajuste o sal. Sirva frio, regado com um fio de azeite.  Dura uns 20 dias guardado na geladeira em pote fechado, coberto com azeite.

Compre um bom pão italiano e um azeite virgem prensado a frio para acompanhar essas delícias.

Sucesso!

Você encontra mais receitas no: https://cozinhandoadrianafetter.wordpress.com/

Comida marcante

comida brasileira

 

Há alguns anos eu fiz um curso de gastronomia, quando aprendi que temos três gastronomias mais diferenciadas e significativas no Brasil.

Temos três comidas que são as mais marcantes, a de Minas Gerais, a da Bahia, e a do Pará. Essas três gastronomias no Brasil marcam incrivelmente a história da comida do nosso país.

Eu particularmente gosto das três, como mais a mineira pela proximidade, mas as duas que realmente me encantam é a baiana e a paraense. São inigualáveis por sua origem.

Minas tem a sua base na carne de porco, a Bahia usa o dendê, e a culinária do Pará, que é indígena, tem a mandioca com base.

No Para o uso da mandioca é pleno, inclusive o da folha que vira tucupi, fervendo a mandioca brava por 7 dias, é o suporte para quase toda culinária paraense.

A da Bahia o fundo culinário vem da África do dendê e das pimentas.

Amo tutu de feijão, leitão a pururuca, moquecas, acarajé e abará, bonito no tucupi, maniçoba, caldeirada paraense e arroz com jambú. Deu água na boca!

Tive o privilégio de conhecer cada uma delas na sua terra natal, que delícia comer se servindo num fogão à lenha em Minas, conhecer o Ver-o-Peso e todos os ingredientes do Para, depois almoçar uma maniçoba nas Docas, sentar no Rio Vermelho em Salvador para se deliciar com um acarajé.

Sou apaixonada por comida suas origens, suas motivações, suas influências, e acredito que a culinária é a definição da cultura de um povo.

A magia dos nossos jardins

Lembro da casa em que nasci e de toda a magia que ela sempre incutiu em mim com seus cheiros e cores.

A casa em si era cinza, de cimento penteado, com janelas verdes escuras, tinha um lindo jardim e um pátio de sonhos, cheio de magias, aquelas que as mentes das crianças, ainda intocadas pelo mundo, tem.

Na frente havia uma escada de mármore branco, margeado por outro azul, lindo. Para mim os degraus eram bancos, reconfortantes depois de correr em volta da casa.

O muro tinha desenhos e recortes, era a montanha russa dos meus pés, caminhar sobre ele era uma aventura, cheia de desafios, quanto mais rápido melhor.

O jardim tinha flores de diferentes cores e aromas, na frente, bem no centro, as amarelas fortes, quase um laranja, cabos bem fininhos e altos que desafiavam a gravidade, depois as papoulas vermelhas, de pétalas tão finas e sedosas, me lembravam asas de borboletas.

A grama era entrecortada por pedras de granito. Os quadrados irregulares, faziam os caminhos a serem percorridos.

De um lado sempre bateu mais sol, porque a casa ficava mais para a direita do terreno, não foi centralizada propositadamente, para se fazer a estradinha de granito cortado até o final, onde ficava a garagem.

No muro alto que ladeava havia um roseiral, rosas grandes, rosa claro, saiam de troncos retorcidos, ali tinham uma convivência harmoniosa com as orquídeas, em sua maioria chuva de ouro e  com a hera que recobria o cimento, deixando o cinza verde.

Do outro lado, na parede mais solar, havia um canteiro cavado no solo, cujas laterais possuíam pequenas corredeiras de cimento, que escoavam as chuvas no terreno inclinado, o meu pequeno rio, onde foram depositados muitos barquinhos de papel.

Flores diversas, de muitas cores, tamanhos e variedades faziam a minha festa, margaridas, bocas -de-leão, onze horas. Lembro de uma, especialmente, cuja a seiva depositada nas pétalas era de uma doçura ímpar, intercalava o sabor com as azedinhas. Muito mais tarde alguém me falou que era tóxica, não me fez mal algum…

Ao fundo espadas de São Jorge e de Santa Bárbara ornavam as multicoloridas flores.

Do outro lado,  que deveria ser o sombrio, moravam as hortênsias, azuis, rosas e brancas, sentia ao passar o perfume que vinha do solo, cheiro de umidade e terra preta, profundo, ainda consigo lembrar de cada um dos aromas desse jardim, ficaram impregnados na minha memória.

No pátio, ao fundo, eu tinha a minha floresta particular, formada por abacateiros, limoeiros, árvores de uva japonesa, pitangueira, bergamoteiras, nêspera doces, árvore onde eu subia para ver a floresta de cima, todas frutíferas e podia ver a parreira de uvas, onde fazia o piquenique imaginário.

Havia uma escada de cimento nos fundos, alta, mais inclinada que a da frente, e outra igual entre as hortênsias.  Subir e descer era uma aventura. Mais ainda a das hortênsias cuja porta estava sempre fechada por segurança, mas para mim isso tinha todo um mistério.

Embaixo de cada escada havia uma porta que levavam às cavernas, isso no meu imaginário infantil. A da frente só era aberta vez em quando, para guardar as ferramentas do jardim, soube muito tempo mais tarde. A de trás levava ao tanque e a sala de lenha, tanto para a lareira no inverno, quanto para o fogão de ferro da cozinha.

Na  lateral a porta levava para um salão onde minha tia dava aulas de francês,  o porão, onde eu moraria após a morte do meu pai.

Vivi muitas aventuras em meu jardim, criei muitas outras imaginárias, a cada estação ele mudava, sempre havia flor brotando, frutas amadurecendo, cheiros novos no ar. Talvez ele nem fosse tão grande como eu imaginava, mas era grandioso, efervescente, vibrante e possibilitou que o meu imaginário infantil viajasse por mundos desconhecidos, me deu asas, sonhos, viagens mil.

Até hoje consigo me refugiar nele, quando preciso de calma e concentração é para lá que viajo. Essas lembranças sempre me conectam contigo, também tinhas um jardim cheio de flores, um pátio cheio de aventuras, que rica vida foi ali vivida. Quantos sonhos não podes mais viver…

Texto dedicado a Cláudia Pinho Hartleben, amiga desaparecida.

Colarinho branco

Pra mim o pior crime é o do colarinho branco, porque mata mais. Mata em grande escala.

Massa de manobra é isso que nós brasileiros somos para os colarinhos brancos.

Enquanto nós discutimos de que lados estamos, eles roubam. São empresários e políticos chafurdados na lama.

Eu não queria ficar tão indignada, revoltada com a classe política brasileira, aquela que deveria nos representar, mas depois da descoberta de um apartamento de dinheiro, e tantos outros desvios, é muito difícil não pensar nisso.

Não pensar em todas as crianças que ficam sem merendas, no caos da saúde pública abandonada, a insegurança que é a atual segurança pública.

Gente o que é isso?! O que que estão fazendo?! Há um assalto ao Brasil dia após dia, e nós que temos simplesmente achar bom pagar impostos e ainda por cima ter que aturar a cara dessa gente discursando. É isso que nos restou?!

A corrupção tira o que há de melhor no nosso país, a esperança.

Ela não existe em um só partido, ela permeia os partidos, independente de credo, raça, religião, independente de que lado você está, a corrupção está lá também, salvo alguns políticos e talvez dois partidos dos mais de 30 que nós temos no Brasil.

Então, aqui eu não vou apontar o dedo pra A ou B, não vou discutir política partidária, esse não é o objetivo, meu objetivo é me indignar, me revoltar como brasileira contra a estupidez que é o desvio de recursos públicos no Brasil.

Todos os dias eles nos tiram a crença de que o nosso país tem futuro, temos tudo pra ser grande, não temos tragédias naturais, a nossa natureza é riquíssima.

Também acho que nós somos muito ausentes, como cidadãos, olha eu sou formada em ciência política e me acho ausente, faço a minha auto crítica.

É triste ver meu país entregue às quadrilhas.

O crime organizado tomou conta do Brasil e da política ele convive lado a lado conosco.

“Transformam um país inteiro num puteiro…”

Você já foi a Bahia nega?! Então vá…

Sempre que conheço um lugar pelo qual me apaixono tenho vontade de mostrá-lo a todas as pessoas que convivem comigo. Assim foi com Salvador.

Salvador, porque circunstâncias mágicas nos fazem lembrar de coisas boas e Salvador, certamente, é uma coisa ótima em minha vida. Lá tenho amigos que conheci trabalhando e hoje fazem parte de mim. Por eles sinto saudade eterna …

Terra de bons amigos, pessoas queridas, excelentes profissionais, sim na Bahia se trabalha muito e bem! Profissionais que deveriam constar na lista dos melhores.

Salvador tem uma energia mágica, sempre quero voltar, mais e mais … Devo ter ido umas dez vezes, muitas a trabalho.

Quando estava no mestrado um amigo meu, Paulo, me dizia que abriria uma consultoria chamada Rio Vermelho, eu, gaúcha recém cortando o meu cordão umbilical com minhas raízes, não tinha noção do quanto o bairro do Rio Vermelho marcaria a minha vida.

Lá a Salvador moderna acontece! Nas rodas de acarajé da Dinha ou da Cira,  na Borracharia (uma borracharia que as 6ª feiras vira o melhor lugar da face da terra pra se dançar, com DJs ótimos). Tinha também outros lugares ótimos onde dancei na nave e no bumerangue, confesso que não sei se ainda existem.

E a paisagem?! Desça do avião e pegue um ônibus executivo no aeroporto, vá até o final da linha, você terá visto toda a orla de Salvador. Passeio deslumbrante até a Barra, onde tudo começa, até o carnaval, seguindo para o Pelourinho, só admirando cada beleza, uma atrás da outra.

Comida nem falo de tão boa, pode ser o filé do Juarez, o Paraíso Tropical, o Yemanjá ou a Doce Sonhos, qualquer um vai te deixar com gostinho de quero mais.

As praias são lindas! A da foto é a da Barra, vou enumerar as minhas favoritas, Porto da Barra, Farol da Barra, Ondina, Stella Maris e Flamengo.

Salvador, cidade linda, povo fantástico, terra para se amar, faltam cuidados às pessoas e àquele lugar maravilhoso!

Vou voltar, com certeza!

Suco de laranja

Eu chegava correndo da escola e ía para cozinha espremer as laranjas. A tarde era praticamente só o que ele conseguia engolir.

A doença já tinha tomado o corpo e ele teria pouco tempo de vida, eu não sabia. Eu não tinha a noção que era tão grave, mas fazer o suco me fazia bem.

Hoje me faz bem pensar naqueles dias e saber que pude contribuir com alguns momentos de bem estar dele.

Entregava o suco ele bebia e nós ficamos ali um do lado do outro curtindo aqueles momentos, para mim bastava ficar do lado do meu pai.

Por algum tempo depois da morte dele, quando via o carro estacionado na frente de casa, eu ainda saia correndo para espremer as laranjas, até que caiu a ficha, ele não estava mais conosco.

Meu pai sempre me proporcionou momentos muito especiais. Como ele sabia da doença dele, aos 10 anos dançou a primeira valsa comigo. Me levou de barco no meio da Lagoa para ver o nascer do sol e também me levou para ver a lua nascendo. Momentos muito marcantes, que me acompanharam pela minha vida.

Ele faleceu um mês antes do meu aniversário de 11 anos.

O texto de hoje foi triste, porque foi feito com saudades. Saudades de um tempo bom, pouco tempo, mas tenho lembranças incríveis do tempo que eu passei com meu pai.

Recordações de muito amor que ele me deu.

Parabéns pai❣️

Flores frescas

camelia

Ahhh, a diferença entre o querer e o poder…

Eu queria ter vasos de flores pela minha casa, toda a semana abastecido, com flores frescas, amo flores.

É um desejo tolo, talvez, inacessível pelo preço das flores nas floriculturas, já que moro em apartamento e não posso colher no jardim. Querer nem sempre é poder, não é mesmo.

Eu te faço uma pergunta, mesmo que você pudesse ter o que quer, isso é realmente importante para a sua vida? Vai fazer diferença pra você ter essa coisa?

Eu fiz uma opção de vida, dei preferência a ser do que a ter. É óbvio que nós gostamos de ter sempre mais,  mas ter o suficiente compensa, ser é muito importante.

Usei o exemplo das flores frescas porque se eu pudesse as terias, é uma representatividade, mas não vai fazer diferença efetiva na minha existência.

Ser vai,  é minha essência, é o que me define como pessoa e em todas as minhas relações na vida.

O que me sustenta, os meus alicerces foram as relações de carinho que eu estabeleci no decorrer dos anos e para isso a minha opção em ser foi a melhor.

Fica a dica, sempre seja mais!

 

Setembro Amarelo

Vou abrir mão das dicas de sábado para falar de um assunto muitíssimo mais importante, a prevenção ao suicídio.

Entramos no mês de setembro e junto começou a campanha Setembro Amarelo, 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Já falei aqui de solidão, de depressão, agora vou falar sobre suicídio, que cresce ano após ano. Dados oficiais falam da morte de 32 pessoas por dia no Brasil por suicídio. Alarmante e triste!

Antes assunto tabu virou um assunto de saúde pública, precisava ser abordado abertamente para possibilitar às pessoas um grito por ajuda.

O suicídio mata mais que todos os conflitos somados no mundo, quase um milhão de pessoas. Para cada um que morreu existem no mínimo mais 10 pessoas que pensam em fazer o mesmo.

Falar ainda é a forma de possibilidade de ajuda, segundo a Organização Mundial de Saúde 9 dos 10 suicídio que aconteceram poderiam ser evitados.

Vamos ajudar quem está ao nosso redor, o mundo está precisando cada dia mais de solidariedade, gentileza e mãos estendidas. Você que está sofrendo saiba que pode contar com seus amigos sempre, procure ajuda no desespero.

Deixo aqui o link da campanha para maiores informações sobre o Setembro Amarelo.

Perennials

Somos nós, as mulheres de 40 a 60! Vocês sabiam disso?! Aquelas que não seguem a cartilha da meia-idade. Eu estou aprendendo e me achei nessa definição.

Comecei a ler alguns artigos sobre o tema, super interessante, porque nos define a partir de um estilo de vida, no mercado de trabalho, como consumidoras e nessa faixa etária.

Não há uma identidade com uma determinada idade, também não se esconde a própria. Não é a idade que define essas mulheres, elas usam jeans, camiseta, transitam por várias faixas etárias com facilidade.

Para deixar mais claro, perennials vem do inglês perenne, traduzido como constante, permanente. Não somos senhoras de meia-idade, somos mulheres que estamos passando pela meia-idade, com melhor saúde que as gerações anteriores. Estamos vivendo nossa plenitude! Cheias de vida e projetos pessoais.

O que mais me chamou a atenção foi um sentimento, porque concordo em número, gênero e grau, não nos sentimos representadas pelo mercado de consumo. Eu me sinto exatamente assim!

E o mercado, o que está esperando para nos enxergar ?!