Me Acolhe (AF)

Meu verso âncorou fora de mim.
Não há vida sem expressão.
Me instiga a necessidade da escrita.
Na madrugada as estrelas são a companhia de que desfruto.
O silêncio de teu dormir não alenta.
Minha alma nunca dorme.
Quando fecho os olhos já é dia.
Tenho de recomeçar.
Quando o que mais quero é recolher. Me acolhe!
Preciso descansar. . .
Sou inquieta, estou as escuras, o que importa?
Só se entregar …

Poesia de Adrianafetter

Comunhão (AF)

sculpture-3463960_1920

Estranho perceber
Que a vida pode ser muito mais
Mais carinho, ternura, afeto…
E, isso, aos poucos me tomar conta
De uma forma inusitada
Como se o universo me penetrasse
Fazendo aflorar todos os sentidos do corpo
E saber, que você amado e desconhecido
Venceu as muralhas que resistiam bravamente
Para que finalmente eu fosse sua
Sem restrições, só sua!
Apenas sentindo …
Comungando em seu corpo
Sem nunca tê-lo tocado
Mas sendo completamente tocada por você
Não sei se isso é poesia,
Só sei que meu corpo leu cada verso!

poesia Adrianafetter

Descomporta (AF)

retomar…

pela sensibilidade … teu doce

as comportas abriram

espraiei

sangue escorreu  com lágrima

na boca silenciosa

cheia de beijos,

sedenta

irresponsável extravasão

tão contida

por vezes desmedida

que descomporta

me inconforma

tudo que escorre

pelos dedos

ser incontrolável

a noite percebida

distraída na manhã

trouxe  despedida

retornaremos…

meu verso …

minha poesia

(Adrianafetter)