Elegância e/ou beleza?!

Eu publiquei um texto, da Revista Pazes, na minha página Pós50, sobre elegância, que elegância não se veste, se tem. O que eu concordo plenamente e quis dar continuidade a este texto aqui no blogue e fui escolher uma foto sobre elegância na Internet,  nas páginas de fotos gratuitas.

O que me chamou atenção foi que todas as fotos que traduziam elegância para mim, foram feitas sobre a natureza,  eram incrivelmente elegantes, de cisnes, de borboletas,  de flores, de um pavão. A natureza por si só é de uma elegância ímpar,  mas já as fotos que os humanos produziram, muitas vezes eram bonitas, entretanto misturavam o conceito de elegância com o de beleza.

Muitas sobre o nu ou semi nu, belas, mas ao meu ver não expressavam elegância.

Lembro de uma foto de um nu de extrema elegância, da atriz Demi Moore,  grávida,  que causou muito impacto na sua época, um alvoroço, ali havia elegância,  mostrava uma mulher no auge da sua gravidez, exuberante,  bela e elegante, sem ser vulgar.

Porque sim, a beleza pode também ser vulgar, inclusive constranger, estão aí as revistas de nudismo para comprovar o que eu digo, mas também podem ser belas, como os quadros renascentistas.

Confesso que tive dúvidas ao escolher a foto deste post, havia beleza, poucas eram também elegantes.

Costanza Pascolato e Gloria Kalil para mim são dois exemplos de elegância, porque antes de tudo são extremamente educadas.

Aí pensei o que era elegância para mim.

Para mim a elegância vem de dentro, da nobreza de caráter, dos gestos de cortesia, das palavras de amabilidade, da polidez com o outro, dos olhares de compreensão e solidariedade.

Nada mais elegante do que a gentileza que gera a gentileza!

Flores e indignação

 

Nós duas sempre gostamos de flores, acho que elas nos dão uma beleza que alivia a alma, trazem um certo alento para tudo aquilo que não conseguimos engolir. A beleza de um jardim nos faz viajar, o seu perfume inebria.

Estou indignada com o mundo, com a violência, não falo só dos assassinatos, dos assaltos, tem aquelas disfarçadas pelos colarinhos brancos e pelo dinheiro errático.

Me pergunto como alguém consegue enriquecer às custas da fome de outrem, da moradia, da saúde, como?! Como pode ser feliz com aquilo que falta ao seu semelhante?! Que ética traduz essas vidas? Como alguém consegue fazer fortuna com a miséria humana?!

Não consigo compreender esse mundo, não vejo como as pessoas podem ser solidárias a dor alheia na caridade, se seus ganhos são oriundos da desgraça dos outros. Moradias que desmoronam por falta de cimento, doentes que morreram com o desvio de medicamentos, criança com fome que deixa de comer a merenda que não chegou, por desvio dos recursos públicos, pessoas desatendidas pelo profissional que faltou.

Ninguém refletiu ou se julga ao menos responsável?! Quem vai se punir pelo tempo perdido? Quem vai se responsabilizar pela dor causada? Até quando vamos nos desculpar pela inércia e descaso?! Até quando continuaremos dizendo que não nos cabe?! Por que aceitamos tão facilmente as desculpas?!

O ano todo transcorreu sem que o teu processo Cláudia tivesse sido devidamente analisado, por quê?!  Por que ninguém conseguiu saber o que aconteceu contigo?! Por que não temos nenhuma resposta?! Quem vai nos dar alguma justiça?! Quem daqueles que podem fazer alguma coisa ainda se importa contigo?!

Eu que nunca acreditei em inferno hoje espero que os pecados sejam ao menos pagos por lá, espero que realmente exista justiça divina. Estou furiosa com a injustiça dos ditos humanos.

E as flores?! O que elas têm a ver com a minha indignação e todas essas questões?! Ainda consigo olhar para as flores e perceber alguma beleza, sei que neste mundo ainda tem quem se importe, é com essas pessoas que poderemos contar, certamente elas também acham que flores nos dão alento na aridez da vida.

Ainda quero ver e sentir a beleza das flores…

 

*Escrevi este texto em outubro de 2016, mas como ele ainda é atual no Brasil de hoje !Último dia do mês de outubro presto minha última homenagem no mês de aniversário de minha amiga irmã, Cláudia Pinho Hartleben.

Eu, meu amigo do peito, meu irmão camarada, será?!

dinner-2330482_1920 (1)

Vamos tentar ser nossos bons amigo?! Sim, gentis conosco mesmo?!

Eu já fiz um texto sobre auto sabotagem e autoestima, vou bater muito nessa tecla, porque acho que não existe quem faça críticas piores a nós mesmos do que o nosso ser. Isso é muito ruim, nós devíamos aprender a nos tratar com carinho, porque o mundo é muito duro. Lá fora o mundo vai nos bater e nos bater como se nós estivéssemos em um ringue de box.

Nós temos que aprender a nos amar, porque quando o mundo nos bater, nós temos que ser a nossa salvaguarda e não nos deixar abalar mais do aquilo deveria abalar, não aumentar este sentimento mais do que ele realmente significou.

Temos que tomar cuidado com as nossas reações internas, aquilo que nós mesmos nos causamos e com aquilo que os outros nos transmitem de crítica.

E aqui vai um recado específico para os homens! Homens não cobrem de suas mulheres aquilo que vocês não tem mais para dar. Se você quer o corpo da sua mulher idêntico aquele corpo que você conheceu antes de se casar, antes dela ter filhos, dela amamentar, por favor se olhe no espelho e me diga com sinceridade, o seu corpo ainda é o mesmo mesmo?! Sem você ter parido, sem você ter amamentado, o seu corpo é o mesmo da época do namoro?!

Se a resposta é sim, ou se estiver melhor, parabéns! Mas se a resposta é não, porque você está barrigudo, careca, ou qualquer outra mudança, o meu conselho para você é: por favor antes de cobrar a sua mulher se olhe no espelho, se você continuar cobrando, vá se catar

Mulheres não se cobrem e não se deixem ser cobradas!

O mundo já nos cobra uma cintura fina, uma pele impecável, nenhuma ruga, nenhuma celulite, nem gordurinhas.

Tem gente morrendo em cirurgia plástica, mesmo tendo um corpo perfeito, para atender padrões de beleza inalcançáveis. Morrendo porque tem problemas com anestesia, porque tiveram pseudo-cirurgião, por fatalidades da vida.

Então preste atenção, o mais bonito de você é o seu sorriso de felicidade, que você consegue dar por ser e estar bem consigo mesma. Uma pessoa feliz, esta é a parte mais bonita que o mundo sempre poderá olhar.

Para que eu tenha um corpo saudável preciso ficar bem, e não quero ser padrão de beleza para ninguém, nem para essa sociedade hipócrita que nos cobra o que não nos dá, ou por acaso é fácil o seu acesso à médico e nutricionistas?!

A questão aqui é você é saudável?! Come se nutrindo adequadamente para o bem do seu corpo?! Eu eu não estou falando de estética e sim de saúde e educação alimentar! Estou dizendo que o que importa é colesterol, taxa de glicemia e as demais boas.

Gente, ninguém tem que passar fome! Não é viver em eterno regime, comer e depois querer vomitar tudo pra fora, pra não engordar ou tomar laxante, ou qualquer coisa do tipo.

Quem não gosta de se sentir bonito?! Todo mundo gosta, mas não podemos nos tornar escravos da beleza!

Eu mesma não estou numa época que eu goste do que eu estou vendo no espelho, porém eu entendo que este é o meu momento de vida. Eu passo por vários problemas de saúde, estou me cuidando para ficar bem, depois eu vou cuidar da minha questão de corpo saudável e não sarado.

Gostei do pilates, que não estou fazendo, mas pretendo voltar, me fez um bem danado.

Sinceramente, o mundo precisa de mais humanidade e menos futilidade!