Contadora de história

De repente me vi aposentada à fórceps, saíram comigo do cargo que eu ocupava há vários anos, normal, a vida tem dessas coisas.

Estava no meio da minha viagem de férias e resolvi que não pensaria nisso até voltar. Não que se consiga fazer isso completamente, mas já ter uma aposentadoria me deu certa tranquilidade, trabalhava para complementar a minha renda.

Há algum tempo já vinha me questionando sobre o que fazer depois, quando saísse do meu emprego, já que se tratava de uma assessoria e apenas um cargo de confiança. Não gostaria de parar de trabalhar. Concomitantemente, me perguntava qual seria a minha real vocação, porque no decorrer da vida nunca me senti fixada em uma só.

Multitarefa, com várias potencialidades, queria fazer alguma coisa que tivesse significado para mim e para os outros, que não entrasse em confronto com os meus valores.

Essa foto é de uma das palestras que assisti #ElaFazHistória, do Facebook, no ano passado, buscando respostas. Agora estou fazendo alguns cursos online… Neles aparece sempre uma pergunta, o que você sempre gostou de fazer?

Num desses cursos ouvi essa expressão, contador de história, me encontrei! Lembrei que no decorrer da minha vida sempre escrevi: em criança, estorinhas, na adolescência e juventude, poesias, já madura nos meus blogs. É isso!

Ainda não sei bem como transformar isso em renda complementar, estou me planejando e estou feliz, por enquanto vou escrevendo para vocês, por aqui…