Banco de Tempo

personal-3108155_1920

Você sabe o que é um banco de tempo?! É uma tendência mundial, que apareceu com a globalização, uma troca de serviços, ou voluntariado, que, na falta de recursos, apareceu como uma maneira de driblar as dificuldades de dinheiro e de emprego.

Você troca o seu tempo, oferecendo uma habilidade sua pela a de outra pessoa. Tudo organizado em um banco de tempo, nas redes sociais, que faz a contabilidade do seu tempo doado por créditos.

Não há impostos, porque não há pagamento, nem dinheiro envolvido.

Eu participo de um, mas não é na minha cidade. Então fiquei pensando o que eu poderia oferecer. Ofereci a participação na página Pós50 , este blog e os meus serviços para estruturar cardápios, receitas, minha experiência na cozinha e segurança alimentar.

Cozinhar é uma coisa que aprendi em família, desde pequena. Aprimorei com pequenos cursos e uma pós graduação, quase terminada, na UnB, em gastronomia e segurança alimentar.

Também tenho receitas, algumas originais, posso ensinar a cozinhar virtualmente, igualmente dar sugestões de cardápio, para almoço, jantar, ou uma pequena festa. Enfim todos nós temos habilidades.

Não serei creditada, neste momento, essa ideia de ajudar virtualmente é inovadora, portanto, quem quiser, pode me acessar via blog ou no inbox da página Pós50.

Nem sempre temos serviços concretos, ou habilidades artesanais para oferecer, porém podemos apresentar ideias, e isso é muito importante, inclusive neste mundo tão virtual.

Quando eu era criança…

O patinete era de madeira e o motor era o meu pé. As brincadeiras eram na rua e no jardim da casa. Passava a maior parte do meu dia fora de casa. Televisão era coisa rara que só se via a noite. De dia a gente brincava, lia gibi ou livrinho de estórias.

Brincar na rua era o máximo, nós aparecíamos para o almoço, para o café da tarde e para o jantar, esse era o compromisso com nossos pais, no mais havia liberdade de ir e vir, correr, brincar, tomar ar puro o dia inteiro.

Nesse dia das crianças eu desejo mais pipas a serem empinadas com crianças e seus pais, mais cantigas de roda, mais bolinha de gude, mais cinco Marias, mais pular elástico, mais pique-esconde, mais corre-corre, mais queimada de bola, mais banho de chuva e muito mais ar puro.

Que possamos todos nós adultos fazermos nossas crianças felizes!